Protecção Civil alerta para vento forte, agitação do mar e chuva em Portugal continental

13 Out 2018 / 14:17 H.

Ventos fortes, agitação marítima e chuva são os principais receios da Proteção Civil para a passagem do furacão Leslie por Portugal, recomendando-se que a população se afaste das zonas costeiras e proteja pessoas e bens.

O furacão Leslie deverá afetar a partir do fim da tarde a costa entre Sines e Leiria, começando pela área metropolitana de Lisboa.

O comandante Belo Costa, da Autoridade de Proteção Civil, disse aos jornalistas que no período crítico, entre as 23:00 de sábado e as 04:00 de domingo, a recomendação é mesmo não sair de casa e evitar completamente o trânsito em zonas costeiras.

Prevê-se para esse período o pico do mau tempo, com ventos médios entre os 70 e os 80 quilómetros por hora e possíveis rajadas de 120 quilómetros por hora.

O conselho é mesmo “tentar ao máximo evitar andar na rua”, afirmou Belo Costa, salientando que as zonas costeiras serão as mais afetadas.

Se não houver alternativa, o conselho é “procurar alternativas seguras” às estradas perto do mar entre Sines, no litoral alentejano, e Leiria, no Centro.

Pelo risco de queda de árvores, recomenda-se também que não se esteja em áreas arborizadas nem se deixem carros estacionados debaixo de árvores.

Belo Costa registou que “ainda há tempo” de prender estruturas que possam ser levadas pelo vento, como os equipamentos da época balnear que ainda estão montados nas praias.

O dispositivo coordenado pela Proteção Civil ainda está reforçado, por ainda durar o período crítico de incêndios florestais, e alguns meios estão a ser retirados do interior, onde o furacão não deverá sentir-se tanto.

É o caso de dois destacamentos da Força Especial de Bombeiros, colocados em prevenção em Almeirim (distrito de Santarém) e Lourinhã (distrito de Lisboa) , caso seja preciso vir ajudar Lisboa.

O responsável da Proteção Civil alertou ainda que o risco de fogo persiste e que o vento forte que chegará ao fim da tarde o agrava.

A população deve ficar ainda atenta aos avisos difundidos pelas autoridades e para o que for sendo noticiado na comunicação social.

Outras Notícias