Presidente do parlamento da Madeira manifesta “profundo pesar” pelas vítimas

18 Jun 2017 / 18:22 H.

O presidente da Assembleia Legislativa da Madeira (ALM), Tranquada Gomes, manifestou hoje o seu “profundo pesar” pelas vítimas dos “violentos e mortíferos incêndios” que deflagraram no distrito de Leiria, em Pedrógão Grande.

Na nota divulgada pela ALM, Tranquada Gomes louvou “o trabalho de todos os bombeiros e forças de Proteção Civil empenhadas no combate” às chamas.

“Neste momento de profunda consternação, os madeirenses, que têm na memória o pesadelo dos incêndios verificados na região no verão passado, expressam a sua solidariedade a todos os atingidos por esta brutal tragédia nacional e associam-se à sua dor”, lê-se na nota.

A ALM informa ainda que, “tendo sido decretado luto nacional pelo período de três dias, com início hoje, pelas vítimas dos incêndios no município de Pedrógão Grande”, não se realizará o plenário agendado para terça-feira [dia 20 de junho].

O fogo, que deflagrou à 13:43 de sábado em Escalos Fundeiros, concelho de Pedrógão Grande, alastrou depois aos concelhos vizinhos de Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, no distrito de Leiria.

O último balanço dá conta de 61 mortos, 54 feridos e dezenas de desalojados, estando por calcular o número de casas e viaturas destruídas.

A Polícia Judiciária (PJ), pela voz do seu diretor nacional, Almeida Rodrigues, afastou já a possível origem criminosa do incêndio.

“A PJ, em perfeita articulação com a GNR, conseguiu determinar a origem do incêndio e tudo aponta muito claramente para que sejam causas naturais. Inclusivamente, encontrámos a árvore que foi atingida por um raio”, disse Almeida Rodrigues.

O Governo decretou três dias de luto nacional.