Presidente da República lamenta morte de padre Dâmaso, “um homem bom”

23 Fev 2018 / 20:57 H.

O Presidente da República recordou hoje o padre Dâmaso Lambers, que morreu na quinta-feira, como “um homem bom”, “que fez da santidade o seu caminho, sempre ao lado dos mais necessitados”.

“Uma vida feita de constante dádiva, mas também de combate pela liberdade, o padre Dâmaso deixa, na Rádio Renascença e nos seus ouvintes, nos ex-reclusos que quis reintegrar através d’O Companheiro, em cada um dos que foram tocados pela sua alegria, um testemunho vibrante de fé e de amor pelo próximo”, lê-se numa mensagem de Marcelo Rebelo de Sousa divulgada no ‘site’ da Presidência da República.

Na nota, o chefe de Estado sublinha ainda que o padre Dâmaso Lambers, nascido na Holanda, “morreu, como era seu desejo, em Portugal, país que fez seu há mais de seis décadas”.

O padre Dâmaso Lambers morreu na quinta-feira, aos 87 anos, em Lisboa.

Em 1959 começou a trabalhar nas prisões e, em meados dos anos 80, fundou a Associação “O Companheiro”.

No dia 10 de junho de 2009, foi condecorado pelo então Presidente da República, Cavaco Silva, com o grau de Grande-Oficial da Ordem do Mérito e, em 2011, recebeu uma homenagem da ‘Prison Fellowship International’, pelo seu trabalho de mais de 50 anos em favor dos presos.

O padre Dâmaso Lambers era também uma das ‘vozes’ da Rádio Renascença com os “Caminhos da vida”, e na Rádio SIM, com o apontamento “Boa Noite”.

O seu corpo está em câmara-ardente na igreja de Nossa Senhora do Amparo de Benfica e, no sábado, as exéquias serão presididas pelo cardeal-patriarca de Lisboa.

Outras Notícias