Politécnico de Viana tira do lixo em seis meses 400 quilos de comida

28 Dez 2017 / 15:22 H.

Nos últimos seis meses o Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), impediu que 400 quilos de comida fossem para o lixo, cerca de 12% de uma tonelada de alimentos desperdiçados, por mês, em sete cantinas da instituição.

Em comunicado, hoje, o IPVC explicou que “mensalmente iam para o lixo cerca de uma tonelada de alimentos, correspondente a um desperdício de 20% dos alimentos servidos” e que, desde junho, com a campanha “Operação Prato Limpo”, aquele desperdício foi reduzido em 12%”.

“O objectivo dos SAS [Serviços de Acção Social] do IPVC é aumentar ainda mais essa redução, de forma a tornar praticamente residual o desperdício alimentar nas suas cantinas”, sustentou a instituição.

Com cerca de cinco mil alunos, o IPVC tem seis escolas - a de Educação, de Tecnologia e Gestão, a Agrária, de Enfermagem, de Ciências Empresariais, e a de Desporto e Lazer - ministrando 24 licenciaturas, 38 mestrados, 34 Cursos de Técnicos Superiores Profissionais (CTESP) e outras formações de carácter profissionalizante.

Lançada em junho, a campanha “Operação Prato Limpo” pretende “sensibilizar toda a comunidade académica para o volume de alimentos que diariamente iam para o lixo”.

“O desperdício alimentar acarreta consequências ao nível ambiental, social, económico e na saúde humana. Queremos continuar com a tendência de redução do desperdício alimentar e, para tal, mais uma vez solicitamos a colaboração de toda a comunidade académica através de passos simples”, sublinhou o administrador dos SAS, Diogo Moreira, citado naquela nota.

Além de combater o desperdício alimentar, a campanha reencaminha “as refeições confeccionadas e não servidas para a organização RE-FOOD que, por sua vez, as distribui pelas famílias carenciadas” da região.

As escolas superiores do IPVC estão situadas em Viana do Castelo, Ponte de Lima, Valença e Melgaço.

Com 323 docentes, a instituição ministra cursos em oito áreas científicas desde as artes, ao ‘design’ e humanidades, ciências da engenharia e tecnologias, ciências da vida e da terra, ciências económicas e empresariais, ciências exactas, educação e ciências sociais e electrotecnia e informática.

Outras Notícias