Ordem dos Advogados pede investigação ao mandato da ex-bastonária Elina Fraga

Em causa estão pagamentos suspeitos feitos no último ano de mandato da ex-bastonária.

Lisboa /
03 Jul 2017 / 12:49 H.

O Conselho Geral da Ordem dos Advogados apresentou uma queixa contra Elina Fraga, a antiga bastonária, por suspeitas de pagamentos indevidos que poderão configurar infracções disciplinares.

A queixa terá sido apresentada há duas semanas no Conselho Superior da Ordem, que decidirá abrir, ou não, um processo de inquérito, avança o Correio da Manhã.

De acordo com o jornal, as suspeitas surgem depois das investigações internas levadas a cabo pela equipa do actual bastonário, Guilherme Figueiredo, desde Janeiro. Este será o resultado da auditoria que o bastonário anunciou quando tomou posse, no início do ano.

Apesar da auditoria ainda não estar concluída, o Conselho Geral já investigou pagamentos indevidos. De acordo com o relatório e contas dos últimos três anos os gastos aumentaram na maior parte das categorias, à excepção dos honorários que caíram de 408 mil euros, em 2015, para 398 mil, em 2016.

Já os gastos com a “divulgação institucional”, por exemplo, terão aumentado de 1882 euros para cerca de 55 mil euros, em 2016 – o último ano de mandato de Elina Fraga.