Novo sistema permite recolher dados sobre actividade dos idosos e ajudar cuidadores

Porto /
20 Set 2017 / 11:54 H.

Um investigador do Porto desenvolveu um sistema que permite recolher dados e criar padrões sobre a actividade física dos idosos, possibilitando aos cuidadores detectar anomalias e sinais de declínio físico, de forma a intervir atempadamente.

O sistema DactivPR, composto por sensores já presentes nos ‘smartphones’ e uma ferramenta ‘online’ que quantifica os dados recolhidos, tem como principal objectivo melhorar a qualidade de vida dos utilizadores, disse à Lusa o investigador da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) Mário Ferreira, responsável pelo projeto.

Segundo indicou, para que os sensores embutidos nos ‘smartphones’ consigam recolher os dados sobre a actividade física dos utilizadores, esses dispositivos têm que ser colocados na cintura (dentro de uma bolsa) ou no próprio bolso das calças ou da camisa, por exemplo.

Depois da recolha dos dados, esses são transferidos para uma plataforma ‘online’, na qual os cuidadores podem verificar as várias métricas de actividade física, gráficos e outros recursos, que lhes permite ter uma perceção mais completa do nível de actividade e comportamentos físicos do idoso.

Em conjunto com esta informação existem ainda uma série de tabelas que comparam várias métricas pessoais, tais como o índice de massa corporal ou a variabilidade da passada, com os valores defendidos como ideias pela literatura.

De acordo com o investigador, a criação do sistema DactivPR foi possível devido a uma linha de investigação desenvolvida pelo centro de investigação Fraunhofer Portugal AICOS, do Porto, onde foi criado um algoritmo que consegue verificar o que os utilizadores estão a fazer em diferentes momentos, com uma eficácia de quase 100%.

Para além desse algoritmo, o projecto de Mário Ferreira baseou-se igualmente no ‘SmartCompanion’, um conjunto de aplicações para o sistema operativo Android, desenhadas a pensar nas necessidades da população mais idosa, também desenvolvido pelo centro de investigação.

A informação recolhida e gerada ao longo do uso dessas aplicações serviram para “extrair conhecimento e padrões de actividade física, usando métodos de análise de dados”.

Pela junção das diferentes tecnologias surgiu a plataforma ‘online’, que pode ser acedida pelo cuidador do idoso que seja portador do sistema ‘SmartCompanion’.

O DactivPR é um dos 14 projectos criados por alunos de diferentes faculdades com o apoio do Fraunhofer Portugal AICOS, no âmbito de uma iniciativa anual que lhes permite desenvolver o seu trabalho, orientado para a criação de soluções práticas que contribuem para a qualidade de vida da população.

O projecto contou ainda com a participação da investigadora Joana Silva e do professor Rui Camacho, da FEUP, de vários investigadores da Fraunhofer Portugal AICOS e de centros sociais da área metropolitana do Porto, numa fase final de validação do produto desenvolvido.