Nestlé Portugal vai investir 40 milhões de euros nas fábricas de Avanca e Porto

14 Mai 2018 / 23:45 H.

A Nestlé Portugal vai investir 40 milhões de euros nas fábricas de Avanca e Porto, sendo que cerca de “80% será investido este ano”, disse hoje o diretor-geral, Paolo Fagnoni.

O grupo vai investir nos próximos 18 a 20 meses nas duas fábricas em Portugal - Porto (café) e Avanca -, com o objetivo de garantir a inovação dos produtos e eficiência da produção.

“É uma mensagem de forte continuidade, a aceleração de investimento nas fábricas portuguesas e nas marcas portuguesas”, afirmou Paulo Fagnoni, que assumiu a liderança da subsidiária portuguesa este ano.

Na unidade de Avanca o destaque vai para um ‘upgrade’ [melhoria] na linha de produção de bebidas e cereais e para o aumento da capacidade, bem como para o apoio a conceitos de inovação em nutrição infantil.

Na unidade do Porto, a Nestlé aumentou a sua capacidade de fabrico, com a produção do café Nescafé Roast & Ground, uma novidade mundial para a marca de café solúvel.

Na área de marketing, a empresa investiu mais de 50 milhões de euros no ano passado, sendo que este ano pretende aumentar este valor entre 2% a 3%.

Paolo Fagnoni adiantou que a Nestlé Portugal compra cerca de 67% dos seus produtos a fornecedores locais, salientando que no ano passado o valor das compras locais atingiu os 150 milhões de euros.

O diretor-geral adiantou que a empresa também vai continuar a contratar jovens em Portugal, com aposta no talento.

“Estamos a investir em novas competências”, afirmou, salientando que é um “compromisso e investimento no mercado” português.

A Nestlé Portugal contava no final do ano passado com 1.922 colaboradores, esperando aumentar 14% este ano, já que a subsidiária portuguesa está a desenvolver o centro Nestlé Business Services (NBS).

Atualmente, a empresa conta “com 140 jovens” neste centro e conta chegar às 400 pessoas “no final deste ano ou início de 2019”, afirmou o diretor-geral.

Sobre a localização do centro, que já foi apontada para Cascais, Paolo Fagnoni disse que não está nada decidido.

“Estamos a avaliar” a capacidade da sede de Linda-a-Velha em receber as 400 pessoas, acrescentou.

“O processo está a decorrer, há vários elementos que precisamos de ter em conta”, prosseguiu, salientando esperar ter decisão sobre o assunto dentro de “dois a três meses”.

O edifício da Nestlé Portugal em Linda-a-Velha, concelho de Oeiras, conta com cerca de 700 colaboradores, e tem capacidade para chegar às 1.000, segundo o diretor-geral.

A NBS “é a área onde estamos a contratar mais”, sublinhou o diretor-geral.

A Nestlé Business Services presta apoio a Portugal, Espanha, países nórdicos, Bélgica, Luxemburgo e Holanda em atividades transacionais relacionadas com o processamento de encomendas, compras e desenvolvimento de campanhas de media sociais digitais.

O grupo conta com 29 nacionalidades na sua força de trabalho na sede portuguesa.

Tópicos