Ministro da Saúde vai hoje à AR explicar fundamentos de transferência do Infarmed

Lisboa /
20 Dez 2017 / 10:20 H.

O ministro da Saúde vai hoje à comissão parlamentar de Saúde, a pedido do PSD, para explicar os fundamentos da decisão governamental de transferir o Infarmed de Lisboa para o Porto.

O anúncio de que a sede da Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed) sairia de Lisboa para o Porto foi feito por Adalberto Campos Fernandes durante uma conferência em Lisboa e apanhou de surpresa os trabalhadores da instituição.

A esmagadora maioria dos funcionários manifestou já que não está disposta a ir para o Porto.

Adalberto Campos Fernandes admitiu que a decisão de transferência da sede foi “muito mal comunicada” e assumiu as responsabilidades por essa má comunicação.

“Foi muito mal comunicada e o responsável por essa má comunicação tem um nome: sou eu. E é por isso que assumo as minhas responsabilidades e terei agora de explicar detalhadamente, de trabalhar detalhadamente com todos, para que essa comunicação seja recomposta”, afirmou Adalberto Campos Fernandes aos jornalistas, no final de uma comissão parlamentar de Saúde, a 29 de Novembro.

O ministro anunciou depois a criação de um grupo de trabalho que vai avaliar esta deslocalização, o qual tem de apresentar um relatório até fim de junho do próximo ano.

O grupo de trabalho, coordenado pelo antigo presidente do Infarmed Henrique Luz Rodrigues, deve realizar uma “avaliação de caracter técnico e científico”, bem como analisar os impactos a nível nacional e internacional da deslocalização da sede da Autoridade do Medicamento, que o Governo quer colocar no Porto.

De acordo com o despacho assinado pelo ministro Adalberto Campos Fernandes, ao grupo de trabalho compete “a avaliação dos cenários alternativos para a implementação da deslocalização do Infarmed para a cidade do Porto”, que deve ser feita “num quadro de total autonomia e independência técnica e científica”.

PSD acusa Governo de falta de credibilidade na decisão sobre o Infarmed

O PSD acusou hoje o Governo de falta de credibilidade e de fundamentação na decisão de transferir a sede do Infarmed para o Porto, apesar de considerar a medida como uma “grande ideia”.

O deputado social-democrata Miguel Santos considerou hoje no Parlamento que houve “falta de credibilidade no anúncio” da decisão de deslocalização da sede da autoridade do medicamento para o Porto, entendendo que várias perguntas fundamentais não tiveram resposta antes de ser tomada essa decisão.

Na audição ao ministro da Saúde na Comissão parlamentar, a pedido do PSD, Miguel Santos disse que seria necessário perceber primeiro qual o custo da transferência do Infarmed, onde se vai instalar e o que acontece à instituição durante o período de transferência.

Para os sociais-democratas, não há nem plano, nem estratégia, nem fundamentação: “Não existe nada, é zero”.

Contudo, Miguel Santos considerou que a transferência da “sede do Infarmed para o Porto “é excelente, uma grande ideia”.

“Todos nos regozijamos por haver uma desconcentração de serviços, só nos pode deixar satisfeitos”, afirmou.

O deputado voltou a frisar que o problema é o da “credibilidade na decisão”.

“Como a decisão é sua, a falta de credibilidade também é sua”, afirmou, dirigindo-se ao ministro Adalberto Campos Fernandes.