Militar da Marinha que atingiu mulher com arma de fogo aguarda julgamento em prisão preventiva

12 Mar 2018 / 20:29 H.

O sargento-ajudante da Marinha que baleou duas mulheres no exterior de um bar do Barreiro, na madrugada de domingo, vai aguardar julgamento em prisão preventiva, disse hoje à agência Lusa fonte policial.

Segundo relataram à agência Lusa fontes da PSP, na madrugada de domingo, o militar terá efectuado alguns disparos com a arma de defesa pessoal na sequência de uma desordem no bar Camarro, na avenida Bento Gonçalves, no Barreiro.

Uma das mulheres sofreu apenas ferimentos ligeiros, dado que terá sido atingida de raspão por um projéctil, mas outra, com cerca de 30 anos, teve de ser submetida a uma intervenção cirúrgica no Hospital do Barreiro.

O militar da Marinha, que foi detido pela PSP pouco depois do incidente, foi hoje presente ao tribunal do Barreiro, tendo-lhe sido decretada a medida de coacção de prisão preventiva.

Outras Notícias