MAI assume que investimento nas forças de segurança vai subir “significativamente”

Lisboa /
09 Nov 2017 / 19:11 H.

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, assumiu hoje que no próximo ano haverá condições para aumentar “significativamente” o investimento nas forças e serviços de segurança, assinalando como prioridade a afetação de meios à Polícia de Segurança Pública (PSP).

“No âmbito de um ano de 2018, que será o primeiro ano de plena aplicação da lei de programação de investimentos das forças e serviços de segurança, teremos, finalmente, condições para elevar significativamente o investimento em infraestruturas, em viaturas, em equipamento de apoio ao exercício da atividade”, afirmou Eduardo Cabrita, durante a sua primeira visita à Direção Nacional da PSP, em Lisboa, enquanto ministro da tutela.

Durante o discurso, o governante disse que a visita tinha como objetivo principal “conhecer melhor a PSP, a sua atividade, organização, necessidades e dificuldades”, e admitiu “que existem desafios a ultrapassar no âmbito dos recursos humanos e materiais, que necessitarão da atenção do Governo”.

Eduardo Cabrita manifestou “o firme empenho à prioridade de que se reveste a afetação de meios necessários ao desempenho pleno de funções da Polícia de Segurança Pública”, dando como “sinal desta prioridade” a entrada em formação de 400 novos elementos, o facto de 200 polícias que vão frequentar o curso de chefias e a aquisição de viaturas para as forças e serviços de segurança.

“Afirmando empenhadamente um trabalho baseado numa colaboração ativa para conseguirmos alcançar as melhorias desejadas. A melhoria da capacidade da PSP para fazer face aos desafios atuais é uma preocupação permanente e tudo faremos para garantir que possam desempenhar o vosso papel com eficiência e eficácia”, salientou o ministro.

O ministro da Administração Interna assumiu igualmente o compromisso de estar atento a ‘dossiês’ legislativos pendentes.

“Teremos em conta aquilo que são processos legislativos relevantes para a PSP, como o estatuto disciplinar, ou a proposta de lei sobre exercício da liberdade sindical, pendentes de apreciação na Assembleia da Republica, ou a reorganização do dispositivo, necessária a acompanhar neste contexto a realidade criminal e social atual”, declarou Eduardo Cabrita.

Perante dezenas de polícias e antes de fazer uma visita guiada pelas diversas valências de que dispõe a PSP, expostas para que o ministro pudesse ver, Eduardo Cabrita deixou um pedido.

“Conto com o vosso apoio e ajuda. E creio que o nosso objetivo é comum: dotar a PSP de melhores condições para que possa, de forma justa e condigna, para todos aqueles que a servem, e que diariamente continuam a trabalhar arduamente, a defender a segurança, a estabilidade social, os valores mais alto do Estado de direito”, vincou o ministro.

Eduardo Cabrita tomou posse como ministro da Administração Interna a 21 de outubro, em substituição de Constança Urbano de Sousa.

Outras Notícias