Investigadores simplificam recolha de amostras de água em zonas de difícil acesso

Porto /
07 Nov 2017 / 15:02 H.

Um serviço que permite recolher amostras de água em locais de difícil acesso sem recorrer a um meio de transporte aquático, tornando assim o processo mais rápido e menos dispendioso, foi desenvolvido por investigadores do Porto.

O AWASer - Advanced Water Analysis Service é um serviço que realiza amostragem de água e a análise de micropoluentes orgânicos, como os fármacos, os pesticidas e os compostos industriais, explicou à Lusa o investigador João Sousa, do Laboratório de Processos de Separação e Reação - Laboratório de Catálise e Materiais (LSRE-LCM) da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP).

Para a recolha das amostras de água, os investigadores criaram a tecnologia Waterfish, que consiste num dispositivo lançado para o local pretendido a partir das margens das massas de água, sem comprometer a segurança do utilizador, visto que este não tem a necessidade de entrar na água, explicou João Sousa.

Esta tecnologia, que demorou cerca de seis meses a ser concebida e está em fase de patenteamento, “rege-se por leis básicas da física, permitindo fazer recolhas de águas superficiais em locais de difícil acesso, como falésias, centros dos lagos ou fora da zona de rebentação das ondas numa praia”, acrescentou.

Tradicionalmente, continuou o investigador, as amostras de água são recolhidas nas margens, com um vaso ou um balde, ou então recorrendo a um barco, o que torna a recolha muito dispendiosa.

As amostras recolhidas pelo Waterfish são submetidas a um processo de pré-concentração para posteriormente serem encaminhadas analisadas nos laboratórios escolhidos, disse ainda João Sousa.

Este serviço está direcionado para entidades públicas e privadas e unidades de investigação que realizem controlo de qualidade de águas ao nível da ordem ambiental, da gestão de parques e dos espaços naturais, entre outros.

Da equipa do AWASer fazem ainda parte os investigadores Adrián Silva, Ana Rita Ribeiro, Cláudio Santos, Marta Barbosa e Manuel Pereira.

Outras Notícias