Governo quer esforço da sociedade para mais jovens terem formação superior

21 Fev 2018 / 11:42 H.

Dois terços dos jovens portugueses não prosseguem estudos no ensino superior, disse hoje a secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Maria Fernanda Rollo, apelando a um esforço da sociedade para ultrapassar o problema.

“Este é um problema de todos nós”, disse Maria Fernanda Rollo aos jornalistas, no auditório da Reitoria da Universidade de Coimbra (UC), após ter participado na abertura de uma conferência subordinada ao tema “Desafios para a Universidade de Coimbra: rituais de acolhimento e práticas de cosmopolitismo”, organizada pelo conselho geral da instituição.

A necessidade de aproximar Portugal dos níveis médios de formação superior dos cidadãos na União Europeia “tem de ser objecto de uma acção de sensibilização da sociedade” em geral, defendeu.

Segundo a secretária de Estado, as pessoas com estudos universitários ou equiparados têm mais oportunidades de emprego e de integração na sociedade.

Na sua opinião, “é absolutamente errado” pensar que não vale a pena prosseguir os estudos além do 12º ano de escolaridade.

“As pessoas vão precisar de mais competências”, tendo em conta as transformações sociais em curso, designadamente ao nível do mercado do trabalho, em Portugal e um pouco em todo o mundo, alertou.

Frisando que “os nossos jovens precisam” de adquirir formação nas universidades e institutos politécnicos, Maria Fernanda Rollo considerou que o “contexto social, mais do que as dificuldades económicas e financeiras” das famílias, pode explicar em parte o reduzido acesso dos jovens ao ensino superior, bem como o abandono.

Outras Notícias