Empresas portuguesas de calçado investem 2 ME para estarem na MICAM

17 Set 2017 / 03:09 H.

Vinte e oito camiões transportaram até Milão as 16.000 amostras de sapatos e artigos de pele que Portugal leva à maior feira de calçado do mundo, num investimento de dois milhões de euros, que implica 10 dias de trabalho.

Segundo dados avançados pela Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes, Artigos de Pele e Seus Sucedâneos (APICCAPS) - que organiza a presença nacional na MICAM, a decorrer de domingo a quarta-feira em Milão - os 96 expositores portugueses participantes na feira irão ocupar 3.100 metros quadrados de exposição, tendo esta sido assegurada por 80 equipas de montagem.

No total, são cerca de 650 os portugueses -- entre empresários de calçado e respetivo ‘staff’, membros da organização e restante comitiva -- que viajam até Milão com os 96 expositores participantes, o que faz novamente de Portugal a segunda maior delegação estrangeira na principal feira de calçado do mundo.

Com um total de 1.473 empresas registadas no final de 2016, a indústria portuguesa de calçado assistiu, desde 2010, à criação de 228 novas unidades (+18%), sendo atualmente responsável por 38.661 postos de trabalho, mais 20% (6.529 empregos) do que em 2010.

Considerando todo o ‘cluster’, somam-se a estes números 120 empresas de artigos de pele e 277 de componentes para calçado, responsáveis por 1.546 e 4.952 postos de trabalho, respetivamente, e por exportações de 178 e 47 milhões de euros, pela mesma ordem.

Globalmente, a fileira nacional do calçado engloba 1.870 empresas (mais 17% do que em 2010) e emprega 45.159 pessoas (um crescimento de 22,1% face às 36.985 pessoas de 2010).

Dos 82,057 milhões de pares de sapatos produzidos por Portugal em 2016 (mais 33% do que em 2010), 95% é canalizado para exportações, que em 2016 cresceram pelo sétimo ano consecutivo e somaram o valor recorde de 1.923 milhões de euros.

Face a 2009, as vendas do sector aumentaram 59%, antecipando-se um novo recorde este ano, a manter-se o ritmo de crescimento de 6% das exportações registado no primeiro semestre.

Atualmente, segundo a APICCAPS, são 152 os países de destino do calçado português, que vende para os cinco continentes e assume “a ambição de ser a indústria mais moderna do mundo, aliando o saber às mais modernas tecnologias”.

Para o efeito, o investimento previsto pelo sector do calçado no âmbito do Roteiro para a Economia Digital, FOOTUre 4.0, ascende aos 50 milhões de euros até 2020.

Tópicos

Outras Notícias