Douro e Trás-os-Montes quer afirmar vinhos, turismo e cultura na Europa

31 Ago 2017 / 10:01 H.

A cidade francesa de Le Havre, França, acolhe entre hoje e domingo uma ação de divulgação dos vinhos, turismo e cultura do Douro e Trás-os-Montes e serve de trampolim para alcançar vários mercados da Europa do Norte.

A iniciativa, que está a ser desenvolvida pela Associação de Empresários Turísticos do Douro e Trás-os-Montes (AETUR), com sede em Vila Real, realiza-se no porto francês de Le Havre, a bordo do navio escola Sagres.

Alberto Tapada, dirigente da AETUR, referiu que, com a ação promocional em França, a associação está a apostar num “conjunto de mercados da Europa do Norte e que se configuram como prioritários para o turismo português”.

Em 2016 a França foi, inclusive, um dos principais países emissores de turistas para Portugal.

A ação de promoção em Le Havre decorre de uma parceria estabelecida com a Armada Portuguesa.

“Por entre cabos, mastros e velas, o Douro e Trás-os-Montes afirmam-se na Europa”, afirmou Alberto Tapada.

O navio escola Sagres está no porto francês a participar no evento “Les grandes voiles du Havre” (As grandes velas de Le Havre), que concentra mais de 20 veleiros provenientes de todo o mundo e que se insere nas comemorações dos 500 anos desta cidade francesa que é Património Mundial da UNESCO desde 2005.

A bordo do veleiro português vão subir operadores turísticos e agentes comerciais pertencentes às áreas do turismo e do agroalimentar, os quais serão convidados a conhecer os produtos e ofertas turísticas organizadas de cerca de 200 empresas e entidades transmontanas e durienses.

Estes operadores representarão vários países e “possibilidades bem distintas no que se refere à promoção do Douro e Trás-os-Montes em diferentes mercados, nomeadamente na França, Alemanha, Bélgica, Luxemburgo, Holanda e Inglaterra”.

Trata-se de uma ação promocional integrada que inclui a divulgação, apresentações técnicas e a degustação de produtos portugueses, como o bacalhau e o pastel de Belém, mas sobretudo os vinhos e azeites do Douro, o mel, enchidos, azeites, as compotas da Puri e a pasta de castanha das Terras de Trás-os-Montes e até, as iguarias gastronomias de Vila Real, como as cristas de galo e os covilhetes.

A bordo estará também patente uma exposição de grandes cubos que, em cada face, revelam o território português através de fotografias. Esta iniciativa conta com a parceria do Museu do Douro.

Segundo a organização, estima-se que, por dia, o veleiro português receba a visita de 10 mil pessoas.

A delegação portuguesa junta a AETUR, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, as comunidades intermunicipais do Douro e a de Terras de Trás-os-Montes, as autarquias de Vinhais e Sabrosa, operadores turísticos e empresas da região.

Esta é também a última ação promocional do projeto “O Douro à volta do mundo - Magellan World”, que resultou de uma candidatura ao Programa Norte 2020, e que já passou pelo Brasil, Argentina e Uruguai.

Trata-se de um projeto de internacionalização, que apanhou a boleia do navegador Fernão de Magalhães para promover o turismo, os vinhos e a cultura da região duriense.

O objetivo foi levar Trás-os-Montes e Douro aos países que integram a Rede das Cidades Magalhânicas, mas também aos mercados prioritários para o turismo português.

Outras Notícias