Costa diz que PSD e CDS dão “espetáculo muito triste” para procurar “derrubar o Governo”

07 Dez 2017 / 02:11 H.

O primeiro-ministro acusou ontem PSD e CDS-PP de fazerem “um espectáculo muito triste” por “sacrificarem a coerência e identidade política ao puro tacticismo” e “criarem focos de desconfiança” para “procurar complicar a vida da maioria e derrubar o Governo”.

“É um espectáculo muito triste ver as bancadas do PSD e CDS sacrificarem a coerência e a sua própria identidade política ao mero manobrismo politico, ao puro tacticismo de, para procurarem complicar a vida da maioria e derrubar o Governo, estarem sempre a criar uns focos de desconfiança e de tensão, refugiando-se sempre em razões formais e nunca indo à substância da matéria”, declarou António Costa, durante o debate parlamentar de preparação para o Conselho Europeu de 14 e 15 de Dezembro.

O primeiro-ministro disse às bancadas da direita que “é inútil procurarem demonstrar a evidência”, porque “é sabido que há posições distintas em matérias europeias”.

Costa sublinhou que “se há algo” de que PS, o PCP, o Bloco de Esquerda e os Verdes se “orgulham é da sua própria identidade e de serem capazes de fazer em conjunto o que estão a fazer sem sacrificarem a sua própria identidade”.

O chefe do executivo criticou ainda os dois partidos da oposição por “virem dizer para a praça pública que não foi dito o que foi dito” em “conversas à porta fechada”.

“É falso e compromete um relacionamento saudável entre o Governo e as oposições”, referiu.

A adesão de Portugal à cooperação estruturada permanente na área da defesa e da segurança, que será formalizada em Bruxelas na próxima segunda-feira, dominou o debate entre o Governo e os partidos no debate sobre o próximo Conselho Europeu.