Costa defende diálogo estreito entre Governo e ordens profissionais

Lisboa /
20 Mar 2017 / 18:55 H.

O primeiro-ministro salientou hoje a importância da reunião que teve com o Conselho Nacional de Ordens Profissionais, defendendo que representa áreas “essenciais” para o desenvolvimento do país e que requerem diálogo estreito com o Governo.

A reunião com os membros do Conselho Nacional de Ordens Profissionais - entidade que neste momento é presidida pela Ordem dos Médicos Dentistas - durou cerca de duas horas e decorreu na sede da Ordem dos Solicitadores e Agentes de Execução em Lisboa, tendo sido antecedida por um almoço com o primeiro-ministro num dos restaurantes do Páteo da Bagatela.

“Esta foi uma oportunidade única para poder ouvir o conjunto de bastonárias e bastonários de setores tão diversos. Foi possível ficar com um panorama muito geral daquilo que são as prioridades, os pontos de vistas e as preocupações de setores tão diversos da nossa sociedade”, referiu António Costa.

O primeiro-ministro apontou também que estes setores representam “largas centenas de milhar de profissionais, com quem o Estado e o Governo, em particular, têm de manter um diálogo muito estreito para se melhorar a qualidade em serviços como a saúde, a justiça, ou a engenharia”.

“Foi uma oportunidade de diálogo muito enriquecedora”, acrescentou o líder do executivo.

Além de representantes dos dentistas e dos solicitadores, estiveram na reunião com António Costa membros de 16 ordens profissionais, entre elas a dos advogados, arquitetos, biólogos, despachantes oficiais, economistas, farmacêuticos, enfermeiros, médicos, médicos veterinários, notários, nutricionistas e revisores oficiais de contas.

Tópicos

Outras Notícias