SMILO - um sorriso

O Programa SMILO é promovido

08 Fev 2018 / 02:00 H.

A par das habituais dificuldades e características típicas da condição insular, a dimensão de uma ilha acrescenta uma teia de desafios que, na maior parte das ocasiões, suscitam um quadro de pessimismo ou, no mínimo, dificuldades suficientes para afastar mesmo os mais bravos e capazes.

Falar de sustentabilidade em ilhas pequenas é equacionar a abordagem de problemas sem qualquer sentido para uma visão habituada à experiência da continuidade, sobretudo num tempo de redes, de gestão integrada e de comunicabilidade e eficiência em escalas continentais. E não nos referimos sequer às condicionantes, importantes, dos transportes ou acessibilidades, se quisermos ser mais integradores.

Água, energia, paisagem, biodiversidade marinha e terrestre, resíduos, são temas cuja abordagem em ilhas pequenas se reveste de uma complexidade e problemática apenas acessível com base nas soluções e experiências dessas mesmas ilhas. O Programa SMILO, promovido pela Organização das Pequenas Ilhas Sustentáveis, assume essa consciência fundamental de que em ilhas pequenas (com dimensão média de 150 Km2), as soluções devem ser encontradas através da participação local, inovação e partilha de experiências e é nesse propósito que um pouco por todo o Mundo, pequenas ilhas estão a constituir os seus Comités Insulares, a dinamizar a adesão ao SMILO e a deitar mãos à obra no que diz respeito ao diagnóstico e plano de acção para abordar, de forma responsável, comprometida e criativa as soluções integradas para as temáticas da água, energia, biodiversidade, paisagem e resíduos, tendo em conta as suas realidades distintas, os cenários globais, em particular as alterações climáticas. Para além do compromisso individual de cada uma dessas ilhas assumem ainda a responsabilidade e disponibilidade de partilhar experiências e assegurar a transferência de conhecimento, independentemente da sua pequenez, ou distância geográfica. O SMILO é um programa optimista que não se rende perante a distância que separa a ilha do Ibo da ilha de Gorée ou a Ilha do Príncipe da Ilha do Corvo, ou dos Bijagós e Porquerolles. Todas estas e as que têm vindo a aderir ao SMILO sabem bem da sua identidade e daquilo que afinal as une: um mar oceano imenso, uma vontade de igual tamanho quanto ao compromisso para com a sustentabilidade e a certeza de que só mesmo os ilhéus, os que fazem todos os dias cada pequena ilha serão capazes de fazer o seu futuro.

António Domingos Abreu
Outras Notícias