Madeira, Terra de Flores

21 Abr 2017 / 02:00 H.

No Verão de 2016, quando toda a gente colocava fotografias dos incêndios que iam eliminando o Funchal do mapa, transmitindo para o exterior uma péssima imagem da nossa ilha, eu criei, na página de Facebook, com este titulo um local onde todos os dias colocava fotografias, em especial das minhas orquídeas, para tentar limpar a nossa imagem de cinza, fogo, cinzas e fumo que cobriam parte da Madeira. Esse nome tem a ver com o que nos dizem aqueles que nos visitam: A Madeira é uma Terra de Flores. É verdade, podemos ter flores todo o ano, bastando para isso saber escolher as espécies e variedades/cultivares. Sempre defendi que os nossos jardins deveriam ter muita cor e transmitir uma certa tropicalidade, deixando no seu local certo as plantas da Laurisilva. Árvores, arbustos e plantas herbaceas que não existam na Europa, de onde provêm a maior parte dos nossos turistas, com muita cor e variedade, conseguida através das suas folhagens, das suas flores e também, nalguns casos, dos seus frutos. Imaginem o que é vir de um país com temperaturas da ordem dos 20º negativos, onde só existem plantas de folha caduca e coníferas, cheias de neve e se deparar com Spathodeas, Árvores do Fogo, Delonix Régia (Acácia Rubra) Caesalpineas, Guganvilleas, Sennas didymobotreas, Acaliphas, Crotons, Estrelizeas, Manhãs de Páscoa, Palmeiras “regionais” e outras exóticas (mas não tamareiras que faz lembrar um deserto e, como já afirmei que surgiram através de um ato de corrupção, mas que o Ministério Público nem quis saber de nada...nem o senhor governo...) e muitas outras que fariam a delicia a quem nos visita????

O Funchal, é uma cidade com muitos espaços verdes, incluindo zonas agrícolas, principalmente com bananeiras, vinhas e canas de açúcar, mas também com muito mato, ou sejam muitas áreas que outrora foram cultivadas e agora estão, por esta ou por aquela razão, abandonadas.

Como um bom exemplo damos o Jardim Municipal, propriedade da Câmara Municipal e responsável pela sua manutenção, que se encontra exuberante, com muita cor, como que a dar as boas vindas a quem nos visita e outros espaços, também mantidos por aquela entidade. Como mau exemplo escolhemos a Praça do Povo, propriedade do Governo Regional e responsável pela sua manutenção. Esta Praça só esteve bonita na altura da inauguração, para “inglês ver”, como diz o Povo. Em Dezembro do ano da sua inauguração, escrevi um artigo neste mesmo diário sobre este espaço. Depois de alguns comentários, em que receava o seu futuro por falta de manutenção, escrevi “... Um espaço destes merece estar bonitinho em permanência e para isso torna-se muito trabalhoso, para além, de exigir um viveiro bem cuidado, para substituir as plantas que vão morrendo ou se tornando feias.....Perdeu-se uma rica oportunidade de termos uma Praça bem bonita e adaptada ao local e à Região, independentemente da sua existência ou não.....já agora, para que se plantaram, para correrem em cima da ribeira de João Gomes as buganvileas, que de dois em dois metros chegavam e não de meio em meio metro, como lá está?....”Actualmente parecem “guiços”, sem folhas e sem flor!!!! Sem dúvida que a Praça do Povo foi um Bluff, em vez do nosso cartão de visita a quem chega de barco...

Dentro de dias, com a data, mais uma vez alterada, teremos a Festa da Flor que tradicionalmente se realizava, precisamente 15 dias depois da Páscoa, mas este ano vai para a três semanas. Porquê? Ninguém sabe....O cortejo deveria ser no dia 30 e certamente vamos ter turistas nesse dia à procura desse maravilhoso desfile. Certamente que encontrarão uma Praça do Povo, triste, abandonada a si mesma, contradizendo o titulo deste artigo. Certamente que os turistas perguntarão e as flores onde estão? Certamente que alguém lhes dirá visitem o Jardim Botânico, porque nem duas das principais estufas de exibição de orquídeas poderão ver, porque foram destruídas pelos incêndios de Agosto e continuam sem receber qualquer indemnização ou apoios para recuperarem o belo cartaz turístico que eram!!!! Visitem as quintas particulares, onde os jardins estão bem cuidados....visitem o jardim Municipal que a Câmara teve o grande cuidado de mantê-lo com muita qualidade, assim como outros espaços Municipais....

A Festa da Flor é um cartaz que não se pode limitar ao magnifico cortejo da flor e à venda de plantas, na sua maioria importadas, na placa central, é preciso que toda a Madeira que deixou de ser do Jardim, para dever ser um autêntico jardim....Achamos que todas as Câmaras Municipais e com o Governo à cabeça, deveriam alindar as estradas, promovendo concursos, como antigamente, entre os cantoneiros das estradas e já agora, também, premiando os particulares que tenham os seus jardins e varandas cuidados, floridos, principalmente à beira das estradas....Um dia destes estive parado numa antiga estrada Regional, a nº 1, a apreciar um Maçaroco com dezenas de flores azuis e também gerânios madeirenses, que florescem, geralmente nos mesmos sítios, devido às sementes que vão produzindo cada dois anos que se passam, enfim e muitas outras coisas que ajudariam a tornar a Madeira, numa verdadeira Terra de Flores, de preferência o ano inteiro....

Duarte Caldeira Ferreira