Pugnar por interesses colectivos

11 Out 2017 / 02:00 H.

141 anos passaram sobre o propósito inicial do fundador Alfredo César de Oliveira que imprime a este jornal centenário a vontade permanente de lutar todos os dias para estar bem próximo de quem precisa saber mais e assim melhor decidir.

Em cada instante renova-se o objectivo “...pugnaremos, quanto em nós couber pelos interesses desta povoação”, para que, focado no essencial, o DIÁRIO seja aliado da verdade, e ainda dos talentosos e dos sem palco, dos bem sucedidos e dos que vivem nas margens do desenvolvimento, dos notáveis e dos ilustres desconhecidos.

Hoje damos notícias todo o dia e a qualquer hora nas nossas diversas plataformas sem perder a transversalidade que nos caracteriza desde as origens, denunciando problemas e apresentando soluções, juntando o interessante ao que é importante. Uma missão imensa, por vezes ingrata, mas que não cansa. Quem serve os que ama sabe quão determinante é haver estruturas capazes de alimentar a esperança.

A garantia que damos é que apesar das adversidades e do desespero que a imprensa enfrenta em todo o mundo não esmorece o nosso compromisso com o leitor assíduo, com o cidadão atento e com a democracia exigente. Mais do que nunca a responsabilidade social de transformar o nosso mundo passa por aqui.

Numa era em que abundam os delírios mediáticos, a falsidade panfletária e os factos alternativos, só a autenticidade resultante do rigor, a responsabilidade com assinatura e a transparência dos processos garantem informação credível.

Por muito que nos queiram colar a candidaturas ou a clubes, a interesses económicos ou à mesquinhez, aos complexos, continuaremos a dar luz aos factos que, honestamente interpretados, precisam de ser conhecidos.

No advento da pressão desenfreada e da aversão à seriedade, de um vale tudo de consequências imprevisíveis e de decretos subtis, resta-nos tamanha determinação, sem perder a cabeça e as referências, o legado herdado e o rumo traçado, a confiança cultivada e a diversidade de assuntos a abordar e de opiniões a partilhar.

O nosso caminho faz-se de informação contínua e multimédia, de parcerias geradoras de iniciativas úteis, de múltiplos eventos destinados à diversão, ao enriquecimento cultural, à formação de consciências.

Surpreender quem nos lê em cada dia, dar contexto à actualidade, verdade aos factos, escrutínio aos poderes, mundo à ultraperiferia, rosto às críticas, lugar aos novos e utilidade às propostas são propósitos que repetimos todos os anos e que continuamos a assumir como válidos, abertos à crítica e disponíveis para as mudanças. Aliás, sempre fomos pioneiros nesse domínio, inovando mesmo que nos plagiem, opção que se renova neste aniversário.

Acreditamos que o jornalismo é imprescindível. Por tal, rumo a século e meio de história, onde quer que esteja saiba que estaremos por perto para dar ao mundo muito daquilo que a globalização desconhece e para trazer ao local das nossas vidas mais qualidade e exigência. Os madeirenses de todos os lugares têm o futuro nas mãos. É em nome desse desígnios que damos mais de nós, o melhor que sabemos, a toda a hora.

Ricardo Miguel Oliveira
Outras Notícias