Trumpices

Se conseguimos pela nossa acção negativa influenciar o clima do planeta, porque não o podemos fazer de modo consciente para o arrefecer?

31 Out 2017 / 02:00 H.

1. NETFLIX + Stanger Things 2. Adoro esta série. Assim um misto de “Goonies” com suspense qb. Quando num filme ou, neste caso, numa série, as coisas funcionam, funcionam mesmo. Tudo encaixa na perfeição. Aconselho vivamente;

2. Como leitura deixem que lhes recomende “As Velas Ardem Até ao Fim” de Sándor Márai, um dos mais belos livros que li até hoje. Uma verdadeira ode à amizade;

3. E para acompanhar o que aqui se escreve, e sem qualquer tipo de justificação, recomendo o álbum de estreia de Ecca Vandal. Alternando entre verdadeiros hinos ao rock e um synthpop muito bem feito, a australilana recolhe muitas e variadas influências.

4. Em relação ao juiz e ao acórdão, se o nome do dito cujo é Neto de Moura estavam à espera de quê? Até fico admirado de não ter mandado apedrejar a mulher;

5. Tropecei nisto na net:

“The Beautiful Poetry of Donald Trump”

“I predicted Apple’s stock would fall

I will build a great, great wall

build buildings that are stories tall

My hands – are they small?”

“I’m a very compassionate person (With a very high IQ)

Just think, in a couple of years, I’ll be dating you

it must be a pretty picture, you dropping to your knees

Come here, I’ll show you how life works. Please”

6. Depois de ter visto uma série de vídeos que procuram explicar a influência da acção do homem no provocar do aquecimento global, pergunto-me: se conseguimos pela nossa acção negativa influenciar o clima do planeta, porque não o podemos fazer de modo consciente para o arrefecer?;

7. Uma das coisas que mais me divertiu na passada semana foi a necessidade que um líder partidário teve de explicar os fabulosos resultados do seu partido nas eleições autárquicas recorrendo nestas páginas a uma “Carta do Leitor”. Ridículo;

8. A pena de morte facebookiana é, sem dúvida, o banimento. Banir uma pessoa faz-me lembrar o “Crime e Castigo” de Dostoiévski. Nas poucas vezes em que o fiz, imaginei o pobre coitado (que se o foi, foi porque me ofendeu significativamente) num dia escuro e frio, com neve pelos joelhos a caminho do exílio numa qualquer Sibéria da vida. Um banido nunca mais me consegue ver. Um gajo que é posto a andar do meu mural perde a possibilidade de me ler ou ver seja lá onde for que publique. É uma medida definitiva. A modos como a pena de morte. Até hoje já “matei” uma meia dúzia e acreditem que não tirei daí nenhum prazer. Do alto do meu justicialismo tenho uma outra medida que acho muito melhor. “Ah só escreves tontices e toleiradas?! Então vou deixar de te seguir”. Ou seja o “criminoso” continua por ali provavelmente a ler as porcarias que vou escrevendo, mas eu não lhe vejo nada a não ser comentários em postes de amigos comuns ou nos meus. Já não o imagino no meio do gelo a bater dente sem saber o que lhe aconteceu, mas vejo a coisa mais como em “Papillon” que um dia aproveita a maré e consegue fugir. É que há alguns que mais tarde são por mim “reabilitados”;

9. Já tínhamos a “Geringonça” (PS, BE e PCP) que sustenta o actual governo da república, no Funchal criámos uma “Caranguejola” (PSD, CDS, MPT, PTP) que permitiu ao PSD ficar com a presidência da Assembleia Municipal do Funchal e da Assembleia de Freguesia de São Gonçalo, por troca da cadeirinha da Associação de Municípios para Teófilo Cunha do CDS. Mas não contentes com isto, em Santo António, surgiu a “Traquitana” que juntou Confiança com o CDS e o PCP. Se não achasse que isto não é mais do que a democracia a funcionar, ia ter medo de começar a pensar noutros arranjos que o futuro nos pode proporcionar;

10. Tiago Martins Oliveira tomou posse como presidente da Estrutura de Missão para a instalação do Sistema de Gestão Integrada de Fogos Rurais. Não me vou perder a descrever o seu vasto currículo de onde alguns destacam o facto de ter trabalhado para a Navigator, onde foi funcionário. É claro que num país como o nosso é quase natural a constante desconfiança em relação a tudo e a todos os nomeados seja lá para o que for. Mas esta nomeação não me faz impressão nenhuma. Sou daqueles que se um dia liderasse fosse o que fosse ia querer ter a meu lado um alguém que pensasse ao contrário de mim. “Know your “enemy”. Convencer um quadro destes a sair da privada para vir para o estado ganhar, certamente, menos do que o que ganhava, só mesmo com espírito de missão;

11. E lá tivemos uma moção de censura apresentada pelo CDS na Assembleia da República. Que havia motivos para isso, havia. Agora o resultado prático foi o de unir o que já começava a apresentar fissuras por via dos resultados das últimas autárquicas, onde o PS roubou à CDU uma série de câmaras. Tanto o PC como o BE fizeram uma data de avisos ao Governo de Costa, que viu baixar a espada de Dâmocles que leva agora a poucos centímetros da testa;

12. Quem conhece a minha apetência pelas coisas da cultura deduz da minha enorme satisfação pelo sucedido na preparação da XIV Conferência de Presidentes das Regiões Ultraperiféricas. A deputada madeirense Liliana Rodrigues deu corpo a um artigo escrito pelo Sérgio Nóbrega onde este falava da necessidade de se salvaguardar a mobilidade cultural para as regiões ultraperiféricas ao propor que o próximo quadro de apoios comunitários contemple esta aspiração.

13. NOTÍCIA DE ÚLTIMA HORA

Juiz Neto de Moura eleito presidente do Ocorrências Madeira.

Nuno Morna

Tópicos

Outras Notícias