O Natal é de todos

Mesmo que a vida nem sempre nos corra bem, que não tenhamos motivos para celebrar e que as circunstâncias nos tenham levado os que mais nos dizem algo e que por esse motivo esta época possa parecer já não ser igual sem eles.

21 Dez 2017 / 02:00 H.

Os Gato Fedorento numa das suas rábulas mais famosas diziam em jeito de criança que “o ar é de todos”. O Natal num tom mais sério deveria ser exatamente assim. Quando nos conseguimos distanciar das conotações mais religiosas que assumem naturalmente um caracter mais diversificado percebemos que o conceito que nos transporta para uma serie de sentimentos , sensibilidades e formas de estar desta época do Ano é fundamental para nos relembrarmos que a vida tem muito mais para além dos snossos problemas pessoais , das dificuldades profissionais e do nosso egoísmo bem próprio dos tempos em que vivemos.

Se já sabemos da bipolaridade do Mundo actual também somos levados a perceber que vivermos na nossa “bolha” é nos fundo deixarmos de construir um futuro melhor para os mais novos de quem tanto gostamos. Quanto mais contribuirmos para uma estabilidade emocional e para um equilíbrio na nossa sociedade mais perto estaremos seguramente de diminuirmos a probabilidade de que eventos nefastos como temos assistido neste ultimo ano se repitam de uma forma constante.

Continuo a acreditar que juntos somos mais fortes e vamos mais longe. Mais solidários contribuímos para que os que nos rodeiam cresçam connosco e assumimos os nossos valores e os nossos princípios como uma condição obrigatória para uma vida em comunidade em que se possam privilegiar as relações de amizade de amor e da família. Não há caminho para o futuro sem esses valores que nos transmite o Natal. E é por isso que temos que fazer tudo para o preservar. Mesmo que a vida nem sempre nos corra bem , que não tenhamos motivos para celebrar e que as circunstâncias nos tenham levado os que mais nos dizem algo e que por esse motivo esta época possa parecer já não ser igual sem eles.

Esse é o verdadeiro motivo porque o Natal é de todos. Porque mesmo que para cada um o seu significado seja diferente tal como a forma de o celebrar ou a alegria que nos move aquilo que está na sua génese é mais forte do que tudo o resto. Sinto quando saio à rua nesta altura uma simpatia acrescida nas pessoas, Faz-nos sentir melhores, mais próximos e mais aptos a contribuir para “a causa”. Se assim é , devíamos naturalmente viver o Natal dentro de nós todos os dias, em cada momento e cada atitude. Eu sei que para alguns isto podem ser apenas palavras , que para quem mais sofre e vive mais sozinho pouco significado têm. Mas que este sentimento nos faça também procurar algo melhor para os que nos rodeiam , para os nossos e também para os mais esquecidos que não têm ninguém que se lembre deles.

Desejo-vos por isso a todos sem excepção um Natal muito feliz, junto daqueles que mais gostam e para os que têm poucos motivos para festejar que aproveitem esta época para acreditar que algo melhor há-de vir. Porque ás vezes acreditar é um bom principio para valer a pena. É juntos que somos mais fortes.

José Paulo do Carmo
Outras Notícias