Máxima liberdade máxima responsabilidade

Enquanto não tomarmos decisões duras e estivermos mais preocupados com as condições dos prisioneiros isto nunca mais vai mudar.

06 Set 2018 / 02:00 H.

Somos marionetas dos nossos próprios comportamentos. E devemos assumi-lo como conceito de quem tem o poder de decidir , de optar e de escolher ficando logicamente dependentes do resultado das nossas determinações. Para mim não somos todos iguais a partir do momento em que tomamos opções para a nossa vida diferentes. Devemos sim aproximarmo-nos o mais possível de termos as mesmas oportunidades , os mesmos direitos e obrigações mas é fundamental que quem escolhe mais vezes bem num contexto de equidade seja chamado a responder pelas suas acções.

É no fundo o que chamamos de livre arbítrio. Capacidade e vontade livre de escolha. Infelizmente como sabemos o ser humano só aprende muitas vezes com lições , com exemplos e com a sensação da consequência dos seus actos. É assim desde que nascemos e isso acompanha-nos para toda a vida. É por isso que para mim , quem respeita os outros e sabe viver em sociedade devia ser bonificado , quem é cumpridor e tem resultados devia ter vantagens tácitas por esse comportamento. Descontos nos impostos , acesso a certo tipo de coisas diferentes, reconhecimento social... Há diversas formas de o fazer. Da mesma forma tenho para mim que quem é incumpridor , quem infringe as regras , quem pratica actos nocivos e que prejudiquem outros deve ser severamente punido.

Não posso compreender que um indivíduo que viole uma criança e que esteja comprovado por factos inequívocos que não foi a primeira vez que pelo menos tentou tenha à sua espera uma pena de 15 ou 20 anos das quais já sabe cumprirá 10 e daqui a pouco estará cá fora. Termos a mão branda com violadores, com homicidas , assaltantes , ladrões e corruptos e não darmos o exemplo é corrompermos toda uma sociedade em si. Um violador devia apanhar pena muito mais severa e ter à sua espera medidas que o obrigassem por exemplo a apanhar o sabão com a língua de cada vez que fosse tomar banho na prisão. Ou mesmo ter à sua espera a castração química e que esses exemplos fossem amplamente difundidos. É que só la vamos mesmo assim.

Se alguns dos políticos que merecem a confiança de um País são corruptos devem bater com “ os costados “ na cadeia durante largos anos para servirem de exemplo. Quem assalta idem. Quem mata sem motivo devia ficar a apodrecer num qualquer sítio para sempre. Enquanto não tomarmos decisões duras e estivermos mais preocupados com as condições dos prisioneiros isto nunca mais vai mudar. Então mas um animal viola uma criança indefesa , ainda se desculpa com o álcool ( eu ja bebi muitas vezes e nunca me deu para isso ) e os Pais da criança ainda têm que descontar os seus impostos para o menino viver melhor na “choldra” ? Quem vai lá para dentro tem que ter a noção que nunca mais vai querer lá voltar. Eu sou por exemplo a favor de que deviam existir muito menos operações stop com caça à multa e ao álcool.Precisamos dos polícias nas nossas ruas mas se alguém tivesse um acidente e registasse álcool no corpo aí sim seria exemplarmente punido para que ninguém tenha vontade de o fazer.

É muito estimulante que nos seja dada a liberdade para escolher os nossos comportamentos sem termos que nos reger por uma qualquer formatação. Mas é muito importante saber que comportamentos geram comportamentos e que estes devem obrigatoriamente ter consequências para o bem ou para o mal. Este estímulo da liberdade só pode ser livre se assumirmos a responsabilidade das nossas opções e é aí que mesmo todos iguais terão que existir grandes diferenças para quem escolhe um caminho e quem escolhe o outro...Para que o crime deixe de compensar.

José Paulo do Carmo
Outras Notícias