A acelerar para a Quinta Vigia

Um gajo que, em véspera de eleições autárquicas, consegue entrar no carro do Giandomenico Basso em frente à Câmara Municipal do Funchal, é obra. Obra de dinheiro público.

13 Ago 2017 / 02:00 H.

“Pedro Calado criticou os madeirenses que “apoiam os pilotos de fora”

– DN. 04.08.2017

1. Não ouvi nem li na íntegra esta entrevista. Mas, se o Pedro Calado critica os madeirenses que estão na estrada a apoiar “os pilotos de fora” do Rali Vinho Madeira, falta-lhe mundo. Numa Madeira universal e cosmopolita qualquer madeirense tem o direito natural de preferir o Basso ao Alexandre Camacho ou o Messi ao Cristiano Ronaldo. Numa Madeira provinciana, a mesquinhez tem o mesmo efeito – “os pilotos de fora” é que são bons. Eu nasci na Madeira e, confesso, detesto os madeirenses. No estrito limite da minha pessoa, detesto-me e tenho toda a razão mesquinha para detestar-me. Enxerga-te, Pedro Calado.

2. Agora, se o Pedro Calado critica o apoio financeiro aos “pilotos de fora” em desfavor dos “pilotos madeirenses”, tem total razão. Sem pilotos madeirenses de qualidade pura e simplesmente não havia Rali Vinho Madeira. Pelo que, se se apoia financeiramente o Basso e o Bruno Magalhães para valorizarem o Rali Vinho Madeira, o mesmo apoio merecem os madeirenses Alexandre Camacho, Miguel Nunes e João Silva. É uma questão de equidade desportiva. E, claro, de dinheiro público.

3. Há que fazer uma opção. Os madeirenses respiram e inspiram o Rali Vinho Madeira. É impressionante os milhares e milhares de pessoas de todas as gerações que, durante dois dias, percorrem a ilha em busca da felicidade inerente ao “Rali Vinho Madeira”. Não perceber e prosseguir isto – apoiando a vela e o golfe para felicidade de meia dúzia de cocós – é um crime. O ferry e dois milhões de euros investidos no Rali Vinho Madeira, era a loucura total na Madeira. Promovia-se a economia, o turismo e a felicidade dos madeirenses. Mas não há nem nunca houve tomates para esta opção. A vela e o golfe é mais fotogénico.

4. Tomates e sorriso dentário tem o Paulo Cafôfo. Um gajo que, em véspera de eleições autárquicas, consegue entrar no carro do Giandomenico Basso em frente à Câmara Municipal do Funchal, é obra. Obra de dinheiro público. Pelo gesto da mãozinha, até o Basso percebeu: Quinta Vigia!

5. Azar dos azares o Alexandre Camacho – merecidamente e sem pedras pelo caminho – finalmente ganhou o Rali Vinho Madeira. Que bebedeira!

António Fontes
Outras Notícias