Paguem o que devem, cumpram com a lei

04 Dez 2017 / 02:00 H.

Resumo o balanço do Orçamento de Estado, em relação à Madeira, com um recado ao governo da República, ao PS (incluindo o PS da Madeira), ao Bloco (incluindo o da Madeira) e aos comunistas: paguem o que devem, não queiram ganhar dinheiro com os madeirenses, transfiram as verbas que a Lei vos obriga e cumpram com aquilo que prometeram! Os deputados eleitos pelo PS e pelo Bloco de Esquerda da Madeira aprovaram e elogiaram o Orçamento de Estado de António Costa. Um Orçamento que não paga as dividas aos madeirenses fazendo com que sejamos nós a pagar serviços que, segundo a Lei, deveriam ser pagos pela República (dividas avaliadas em muitos milhões de euros); os deputados do PS e o do Bloco, eleitos pela Madeira à Assembleia da República, também aprovaram e elogiaram um Orçamento que não aceita diminuir os juros da divida a pagar pelos madeirenses estando assim o governo de Costa a ganhar dinheiro com o diferencial daquilo que paga, em juros, ao exterior em comparação com aquilo que nos exige (ganham mais de 14 milhões de euros/ano); também o PS e o Bloco de Esquerda da Madeira aprovaram e elogiaram um Orçamento de Estado que não cumpre com as promessas feitas pelo próprio (!) governo PS/Bloco/PCP que não tem qualquer verba, por exemplo, para o novo Hospital. É este o governo apoiado com entusiasmo pelo PS e pelo Bloco de Esquerda da Madeira. Um governo que não convive bem com a verdade, convive mal com a Lei e acima de tudo com as Autonomias. Se para a Madeira e Porto Santo este é um Orçamento desastroso para o resto do País também não é muito melhor. Alguns impostos sobem, a carga fiscal não dominui, o crescimento da economia é baixissimo e reformas nem vê-las. É um Orçamento do “deixa andar, logo se vê”. Ou como gosta de dizer o primeiro-ministro Costa “chapa ganha, chapa gasta”. Ou ainda como também gostam de dizer (e fazer) “vamos buscar dinheiro àqueles que o acumulam”. Portugal assim não vai longe. Assim nunca mais deixamos a cauda da Europa. Assim nunca mais diminuimos os números vergonhosamente elevados de pobres que o Pais tem (30% da população). Assim nunca mais criamos riqueza para elevar o rendimento médio dos portugueses (vergonhosos 600 euros), dos vencimentos médios dos que trabalham na privada (1000 euros) e dos que trabalham para o Estado (1500 euros). Vencimentos que nos deixam vergonhosamente na cauda da Europa e sem prespetivas de melhoria. É este um bom Orçamento para os portugueses, em geral, e para os madeirenses, em particular? Claro que não é! Foi por isso que votei contra.

Passe sub23

Prometi e cumpri: iria denunciar e discriminação negativa dos alunos da Universiade da Madeira em relação aos seus colegas nacionais que têm desconto nos passes sociais. Denunciar para obrigar que a discriminação deixasse de existir. Conseguimos. Apesar do PS e do Bloco terem decidido votar contra tudo o que viesse do PSD-Madeira - vejam este exemplo de democratas! - obrigámos, perante a vergonha da evidente discriminação, a que aprovassem um ponto fazendo com que os nossos alunos passem a usufruir do desconto a que têm direito. Uma vitória para e dos estudantes universitário madeirenses. O PSD limitou-se a cumprir com a sua obrigação: defender os interesses dos madeirenses e dos portossantenses.

Paulo Neves

Tópicos

Outras Notícias