O não assunto

21 Abr 2017 / 02:00 H.

No passado dia 6 de abril decorreu uma audição parlamentar da 6ª Comissão Permanente da Assembleia Legislativa da Região da Madeira, com a presença do presidente do Sindicato dos Professores da Madeira e um professor em representação dos docentes do Conservatório Escola das Artes da Madeira, cujo assunto versou a “Defesa do Conservatório Escola das Artes: pelas Artes na Madeira, pelos seus alunos, pelos seus professores”. Durante esta audição ficou bem claro que, no processo de mudança com o objetivo de ser criado o Instituto das Artes, os professores do Conservatório não foram “achados nem ouvidos”. Segundo o representante dos professores do Conservatório, até ao momento não houve auscultação aos docentes para saber a sua opinião acerca destas mudanças.

Acontece que o presidente da Comissão, do PSD, numa tentativa de desvalorização do que se debatia nesta audição, diz que “este é um não assunto” porque ainda não foi confirmada pela Secretaria Regional da Educação (SRE) esta intenção de constituição do Instituto das Artes.

No entanto, e como prova de que esta foi apenas uma “conversa fiada” para desviar as atenções do cerne da questão, aconselho o sr. Presidente da Comissão a ler as notícias do dia 30 de abril de 2016: “O Grupo Parlamentar do PSD – Madeira está convicto de que a criação do Instituto das Artes, já anunciada pelo Governo Regional, é uma boa medida. O posicionamento dos deputados social-democratas foi assumido (...) no final de dois encontros: um com a Direção de Serviços de Educação Artística e Multimédia e, outro, com o Conservatório – Escola das Artes”. No dia 30 de junho de 2016 foi noticiado o nome de Carlos Gonçalves para presidir ao Instituto das Artes.

Portanto, temos provas dadas que, desde abril de 2016 o Governo Regional, através da SRE, pretende formar o Instituto das Artes, fundindo o Conservatório – Escola profissional das Artes da Madeira e a Direção de Serviços de Educação Artística e Multimédia. Uma fusão – mais uma!... – que acontece sem o devido respeito e preocupação pela identidade dos 70 anos de existência do Conservatório.

Esta será mais uma fusão, análoga ao que aconteceu com a criação do Instituto para a Qualificação, que juntou a Escola Profissional Dr. Francisco Fernandes e a Direção Regional de Qualificação Profissional, levada a cabo por uma Secretaria que ficará marcada pela quantidade de fusões entre estabelecimentos de ensino, que têm gerado muito descontentamento e confusão no seio das comunidades educativas.

Em síntese, temos um presidente de uma comissão, liderada pelo PSD, a declarar como “não assunto” aquilo que os seus parceiros de bancada parlamentar já o defendem e afirmam há mais de um ano. Que a SRE já manifestou e defendeu publicamente a intenção de formar o Instituto das Artes e até já se falou no nome do Dr. Carlos Gonçalves para presidir a este Instituto. Realmente, nada de novo neste PSD-Madeira! Presos à escola dos “jotinhas” do PSD, ainda não perceberam que “a mentira tem perna curta” e a “conversa fiada” – enquanto discurso hábil numa tentativa para enganar alguém - não passa disso mesmo: nversa fiada!

Paulo Alves

Tópicos

Outras Notícias