Estado da Região e o Estado da Nação. Descubra as diferenças

03 Ago 2018 / 21:20 H.

Recentemente no Parlamento da Madeira analisou-se o Estado da Região. O mesmo foi feito, por nós deputados à Assembleia da República, a análise ao Estado da Nação. Vale a pena não só destacar os respetivos estados como compará-los. Ou seja, comparar aquilo que o PSD tem feito na Madeira e aquilo que o PS com a extrema esquerda têm feito a nível nacional. Quanto ao crescimento económico a Madeira cresce desde há 59 meses sem qualquer interrupção. O nosso PIB cresceu, nos últimos anos, 13%. Pois o PIB do País cresceu, no mesmo período, 12% e o dos Açores 10%. Fomos nós que mais crescemos! A nossa dívida pública tem apresentado uma trajetória descendente evidente. Vale neste momento 108% do PIB regional. Pois a nível nacional a dívida até tem aumentado e vale 126% do PIB nacional. Nós estamos francamente melhores! No turismo a Madeira apresenta o melhor resultado de ocupação e o maior crescimento de rentabilidade do setor. Muito melhor que a média nacional! Aliás no Turismo atingimos os melhores números de sempre. Quanto ao desemprego, nos últimos 3 anos o desemprego na Madeira passou dos 16% para 8,9%. Criaram-se 9300 postos de trabalho. A percentagem nacional é semelhante mas no nosso caso estamos a falar de uma economia insular e que tem recebido milhares de compatriotas da Venezuela. Ou seja, fizemos um trabalho muito mais meritório! Na Madeira o governo reduziu a carga fiscal tanto às famílias como às empresas. Foram reduzidos o IRS, o IRC e o ISP (combustíveis). Pois a nível nacional o PS e a extrema esquerda recusaram reduzir o imposto sobre os combustíveis como arrecadaram a maior carga fiscal da história de Portugal (42 mil milhões de euros que representam 35% do PIB). Na Saúde, a nível nacional, o caos do Sistema Nacional de Saúde é mais que evidente: falta de médicos e de enfermeiros; redução de camas nos hospitais; dívidas de centenas de milhões de euros em remédios; enorme contestação dos doentes e dos profissionais de saúde; hospitais e centros de saúde a funcionarem em condições de autentico terceiro mundismo. Tudo devido à austeridade do PS com a extrema esquerda que está a destruir o Sistema Nacional de Saúde. Pois na Madeira o governo do PSD recusa-se a fazer austeridade numa área fundamental como a Saúde (aliás como na Educação e Políticas Sociais). O governo do PSD, na Madeira, vai mais longe: perante a mentira do governo socialista da República chega-se à frente e insiste na construção do novo Hospital pagando do seu bolso aquilo que deveria ser o governo da República a pagar ( e que António Costa promete vezes sem conta que vai pagar...). Na Madeira o governo reforçou o orçamento da Saúde em 30 milhões de euros. Pois a nível nacional o PS com a extrema esquerda têm “cativado despesas” na Saúde o mesmo é dizer cortado mesmo naquilo que têm orçamentado. Austeridade no seu pior! Na Madeira o PSD tem cumprido com a sua palavra. Privatizou-se o JM; reduziram-se as rendas das PPP´s rodoviárias. Criou-se o Subsídio de Mobilidade para o Porto Santo. Criou-se o passe sub23 para os estudantes universitários. Há avião cargueiro; há ferry para o Continente; há helicóptero de combate aos fogos. Tudo feito com dinheiro da Madeira e dos madeirenses. O governo do PS, a nível nacional, recusa-se a pagar a sua parte violando o Princípio da Continuidade Territorial e mesmo o da Unidade Nacional. E viola com o apoio do PS da Madeira (tanto dos dirigentes militantes como dos chefes independentes...). O governo do PS com a extrema esquerda (e apoiado pelo PS da Madeira) merece censura. O do PSD na Madeira está a cumprir com a sua obrigação maior: fazer o que prometeu há três anos.

Paulo Neves

Tópicos

Outras Notícias