Belas e Livres

14 Jul 2018 / 02:00 H.

Pela quinta vez, a nossa região foi reconhecida como o Melhor Destino Insular da Europa. Galardões internacionais que comprovam a confiança e o apreço que milhares de turistas devotam à Madeira.

Existe, porém, um outro género de turismo. É o turismo socialista que vem à Madeira, que se aproveita dos nossos cenários paisagísticos para uns fugazes momentos fotográficos e para proferir promessas ocas para a nossa população. No regresso ao aeroporto, polvilham uns outdoors bacocos pelas estradas madeirenses, onde os próprios figurantes pedem para os tirarem desses cartazes porque nem eles acreditam na “palavra dada” de António Costa.

Ou então, recordemo-nos da mais recente passagem de António Costa pela Madeira e do seu discurso no dia do empresário da ACIF onde literalmente prometia o eldorado aos madeirenses! Para além de não ter avançado um milímetro nos dossiers que prometeu – continuando, por exemplo, a manter a taxa de juro absolutamente usurária que cobra à nossa Região - convém ver o que a bancada socialista continua a fazer na Assembleia da República. Desde o primeiro dia desta geringonça, que as nossas propostas são sistematicamente chumbadas. Mas esta semana, os restantes partidos juntaram-se ao PSD na defesa dos interesses dos madeirenses. O PS é que voltou a faltar à Madeira.

Na primeira oportunidade para votar a revisão do subsidio de mobilidade o governo socialista primeiro manda a sua bancada evitar a todo o custo a sua votação, tentando sentenciar a proposta madeirenses a um veto de gaveta. Depois, esbarrando perante a impossibilidade de evitar essa votação, esse mesmo governo socialista mandata a sua bancada parlamentar a votar contra a proposta que tinha sido votada favoravelmente por todos os partidos na ALRAM.

O autointitulado “PS-Madeira” não merece o epíteto “Madeira” no seu nome. Não compreende que o lema da nossa região - “das Ilhas, as mais Belas e Livres” – está enraizado na nossa gente como marca de orgulho. Não é um mero slogan de propaganda. É a constatação da verdade histórica e presente. O PS da Madeira não pode vender às suas hierarquias em Lisboa o adjetivo da beleza à custa do adjetivo da liberdade. Como se a Madeira se tratasse de uma mera joia para a coroa de António Costa. Não, senhores dirigentes do PS na Madeira, uma vitória eleitoral na Madeira será sempre uma manifestação de liberdade dos madeirenses e para os madeirenses.

Emanuel Câmara, Paulo Cafofo e Companhia podem - ridiculamente, é certo! - tentar crucificar os dois deputados do PS da Madeira que votaram contra a revisão do subsidio de mobilidade da Madeira esta semana na Assembleia da República. Mas ao serem vassalos – o oposto de livres – do PS-Nacional, foram os dirigentes regionais do PS que co-assinaram o voto contra da bancada socialista. A Madeira, bela e livre, não esquecerá.

Rubina Berardo

Tópicos

Outras Notícias