último comentário

Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor

Centro Português de Fotografia lança dois desafios ao público no âmbito das comemorações

18/04/2012 12:01
Ferramentas
+A  A  -A
Interessante
Achou este artigo interessante?
 

O Centro Português de Fotografia (CPF), com sede no Porto, lança dois desafios por ocasião do Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor, que se assinala na próxima segunda-feira, dia 23 de Abril.

No primeiro desafio, o público é convidado a enviar uma frase/pensamento da sua autoria alusiva ao tema da fotografia, abordando ainda a questão do Direito de Autor. A frase original deve ser remetida ao CPF, através do endereço de correio electrónico mail@cpf.dgarq.gov.pt.

O segundo desafio está associado à resposta correcta à pergunta - 'A unidade informativa do CPF possui quantos documentos bibliográficos?'. O CPF aponta três alternativas de resposta. Vence o primeiro utilizador a enviar a resposta correcta para o mail@cpf.dgarq.gov.pt, a partir das 9 horas do dia 23.

Em ambos os desafios, o CPF atribui um livro aos vencedores.

Miguel de Cervantes e William Shakespeare faleceram ambos a 23 de Abril. Em 1995, a Conferência Geral da UNESCO decidiu comemorar o livro no dia da morte das duas figuras da literatura mundial.

Por último, referir as alternativas de resposta à pergunta 'A unidade informativa do CPF possui quantos documentos bibliográficos?':

a – Entre 7.500 e 10.985 documentos bibliográficos;
b – Entre 10.985 e 12.900 documentos bibliográficos;
c – Entre 12.900 e 14.856 documentos bibliográficos.

Comentários

Este espaço é destinado à construçăo de ideias e à expressăo de opiniăo.
Pretende-se um fórum constructivo e de reflexăo, năo um cenário de ataques aos pensamentos contrários.

O nome que será apresentado como autor do comentário.
O conteúdo deste campo é privado e não será exibido publicamente.

21/07 18:11

Concerto no miradouro do Cabo Girão

Orquestra de Bandolins da Casa da Cultura de Câmara de Lobos deu espectáculo no domingo

Espaço participação

Que análise faz ao estado do sector da saúde na Região?

Faltam vacinas e medicamentos, há razia na ortopedia e noutros serviços, tudo gira em torno do hospital e de uma ampliação contestada. Que importa mudar no sistema? O que falha na organização?