Xanana Gusmão pede “confiança e esforço colectivo” na coligação da oposição timorense

23 Fev 2018 / 05:36 H.

O líder do CNRT, segundo partido timorense, Xanana Gusmão, pediu “confiança e esforço coletivo” para fortalecer a AMP, a coligação “histórica” de três partidos hoje formalmente criada e que se vai apresentar às eleições antecipadas de 12 de maio.

O apelo de Xanana Gusmão foi feito numa mensagem em vídeo endereçada aos membros dos três partidos que hoje assinaram a formalização da Aliança de Mudança para o Progresso (AMP) - o Congresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT), o Partido Libertação Popular (PLP) e o Kmanek Haburas Unidade Nacional Timor Oan (KHUNTO) - que vai ser agora registada no Tribunal de Recurso.

A mensagem em vídeo de Xanana Gusmão foi gravada na terça-feira em Kuala Lumpur, onde está a liderar a delegação de Timor-Leste que está a negociar com a Austrália e com as empresas petrolíferas o futuro desenvolvimento dos poços de Greater Sunrise.

Dirigindo-se aos responsáveis, militantes e simpatizantes dos três partidos - que hoje formalizaram a coligação e aprovaram os seus símbolos - Xanana Gusmão, que está ausente de Timor-Leste desde setembro do ano passado, saudou a “maturidade” do povo timorense e o seu compromisso com a estabilidade e tolerância.

Aspetos importantes num momento em que Timor-Leste ainda tem um Estado frágil, onde continua viva a memória e a “grande lição” da crise de 2006 e 2007 e onde convivem o “aspeto negativo que é a situação que o Estado enfrente, sem estabilidade” e o “aspeto positivo que é a estabilidade social”.

Xanana Gusmão disse que os “ganhos políticos pertencem ao povo” e que este momento “histórico” de coligação pré-eleitoral de três grandes partidos “não é complexo mas também não é fácil” sendo essencial que “os quadros dos três partidos interiorizem os objetivos da coligação, dando-lhe personalidade”.

Essencial, defendeu, é acordar a “estratégia e a matéria da campanha”, avançar com a “mobilização de quadros dos três partidos para socializar o programa” e coordenar todas as estruturas”.

O líder timorense deixou recados para todos os militantes, afirmando que não devem “intimidar ou ameaça a população ou militantes de outros partidos” e que não devem distribuir ou receber dinheiro.

“Se receberem dinheiro de alguém que quer ajudar a AMP a obrigação dos quadros é informar as estruturas nacionais e o departamento de finanças para que dê um recibo”, afirmou.

Xanana Gusmão recordou questões “fundamentais” no imediato, nomeadamente cumprir os prazos para apresentação da AMP aos órgãos eleitorais competentes, definir o acordo de coligação e propósito político e determinar a composição da “lista única”.

Um processo de “quotas ou percentagens dos partidos”, refletindo a composição do Parlamento Nacional de 65 lugares - o CNRT tem 22 lugares, o PLP tem oito e o KHUNTO tem cinco - e que deve ser concluído com “honestidade, humildade, determinação e confiança”, disse.

Xanana Gusmão deixou a sua recomendação sobre os três primeiros lugares na lista: “número 1, Xanana Gusmão, número 2 Taur Matan Ruak [presidente do PLP] e número três a mana [Armanda] Berta [dos Santos, presidente do KHUNTO].

De fora da ‘troika’ fica quem tem sido uma das caras da coligação - está no símbolo do partido - o conselheiro especial e fundador do KHUNTO, José Naimori.

A mensagem do líder timorense foi transmitida depois do texto da resolução que formalizar a coligação ter sido assinado num encontro no Centro de Convenções de Díli.

“O Congresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT), o Partido Libertação Popular (PLP) e o Kmanek Haburas Unidade Nacional Timor Oan (KHUNTO) decidem formar uma coligação de partidos políticos com fins eleitorais, a Aliança de Mudança para o Progresso (AMP)”, refere o texto da resolução conjunta.

“Os partidos políticos que assinam este acordo decidem a sua abertura e disponibilidade para acolher outros partidos políticos na coligação desde que aceitem aderir aos princípios e objetivos enumerados”, destaca o texto.

A resolução conjunta foi assinada pelo secretário-geral do CNRT, Francisco Kalbuadi Lay (em representação de Xanana Gusmão), pelo presidente do PLP, Taur Matan Ruak e pelo fundador do KHUNTO, José Naimori.

A campanha para as eleições antecipadas para eleger o novo Parlamento Nacional de Timor-Leste decorrerá entre 10 de abril e 09 de maio.

Outras Notícias