Terça-feira mortífera no Afeganistão faz mais de 50 mortos em três atentados

10 Jan 2017 / 19:07 H.

Uma série de atentados hoje em várias cidades do Afeganistão, entre as quais a capital, Cabul, causaram mais de 50 mortos e dezenas de feridos.

Um duplo atentado reivindicado pelos talibãs ocorreu à hora de saída dos escritórios adjacentes ao Parlamento afegão em Cabul, quando um bombista suicida se lançou contra um miniautocarro que aguardava os funcionários. Também foi detonado um carro armadilhado com explosivos.

Pelo menos “38 pessoas morreram e 80 ficaram feridas”, indicou o Ministério da Saúde.

“Este número é suscetível de subir uma vez que vários dos feridos se encontram em estado crítico”, afirmou um porta-voz do governo afegão.

Ao início da noite, a residência do governador de Kandahar, a maior cidade do sul do país (próxima do Paquistão), foi atacada. Ouviram-se várias explosões, que fizeram entre nove e 12 mortos, e igual número de feridos, de acordo com balanços contraditórios entre si.

“Nove pessoas morreram”, indicou o porta-voz da província, citado pela cadeia de televisão local Tolo News.

Já o chefe de polícia da região, Abdul Raziq, avançou à agência France Presse que o mais recente balanço dá conta de “doze pessoas feridas e igual número de mortos”.

Segundo Abdul Raziq, o governador e vários dos seus convidados no momento, entre eles o embaixador dos Emirados Árabes Unidos no Afeganistão, “ficaram ligeiramente feridos”.

“Os explosivos foram detonados durante o jantar”, explicou a mesma fonte, acrescentando que “algumas das vítimas ficaram totalmente queimadas, pelo que não puderam ser identificadas”.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros dos Emirados confirmou em comunicado que o seu representante no Afeganistão “Juma al-Kaabi e outros diplomatas ficaram feridos num ataque terrorista contra a residência do governador”.

A operação não foi reivindicada. Abdul Raziq, que pode ter sido um dos visados no atentado, propôs recentemente a criação de uma “zona de segurança” para acolher os talibãs e as suas famílias, com o objetivo de diminuir a sua influência no Paquistão.

Entre estes dois ataques, um suicida fez-se explodir junto de responsáveis locais e tribais em Lashkar Gah, a capital da província de Helmand (sul). Sete pessoas morreram, indicou o chefe da polícia Aqa Noor Kintoz.

As forças de segurança desarmadilharam um carro com explosivos estacionado no lado de fora do local que acolheu a reunião de chefes tribais.

Esta operação também foi reivindicada pelos talibãs, que controlam extensas faixas desta província, a principal zona de produção de ópio no Afeganistão, um dos maiores fornecedores em todo o mundo.

Tópicos