Tempestade tropical fez mais de 200 mortos no sul das Filipinas

24 Dez 2017 / 14:35 H.

A tempestade tropical Tembin, que atingiu na sexta-feira o sul das Filipinas, fez mais de 200 mortos e milhares de deslocados, anunciaram hoje as autoridades e socorristas.

O novo balanço oficial, de mais de 200 mortos, foi facultado hoje de manhã, depois de, no sábado, as autoridades terem dado conta do registo de 182 vítimas.

De acordo com as autoridades filipinas, 144 pessoas continuam desaparecidas e mais de 40 mil procuraram refúgio em centros de abrigo.

Segundo um comunicado da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, 70.000 pessoas foram obrigadas a deixar as suas casas ou afetadas pela tempestade tropical.

“As pessoas deixaram tudo para trás durante a fuga”, afirmou Patrick Elliott, responsável pelas operações e programas nas Filipinas da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho num comunicado citado pela agência de notícias francesa AFP.

A Tembin, que atingiu o arquipélago na sexta-feira, estava hoje a afastar-se em direção ao mar do Sul da China.

A polícia anunciou que 135 pessoas morreram na parte norte da olha de Mindanao, onde 72 habitantes foram dados como desaparecidos. Na península de Zamboanga, no oeste, foram registadas 42 mortos, havendo outras 72 pessoas cujo paradeiro se desconhece.

Dezoito pessoas morreram na província central de Lanao do Sul, onde se localiza a aldeia serrana de Dalama, que foi praticamente apagada do mapa.

Imagens filmadas pelo canal de televisão filipino ABS-CBN mostram casas derrubadas como baralhos de cartas pela intempérie e outras submersas, bem como socorristas a tentarem retirar o corpo de uma menina soterrada por um deslizamento de terras.

Polícias, soldados e voluntários escavam com as próprias mãos os destroços em busca de eventuais sobreviventes.

Mais de uma centena de casas da aldeia agrícola de Dalama foram destruídas pelas inundações provocadas pela tempestade tropical.

Antes de rumar em direção ao mar do Sul da China, a tempestade tropical também afetou a ilha turística de Palawan, onde chegou com ventos sustentados de 120 quilómetros por hora e rajadas de até 145.

“Nós não temos nenhuma vítima a lamentar neste momento, mas há pessoas desaparecidas”, disse o chefe da proteção civil de Palawan, Zaldy Ablana, à rádio DZMM.

A tempestade tropical Tembin deixou hoje as Filipinas, em direção ao mar do Sul da China, tendo ficado fora da zona de influência das Filipinas a meio da manhã de hoje, de acordo com o mais recente boletim do serviço meteorológico das Filipinas (PAGASA), pelo que foi levantado o alerta de tufão no arquipélago.

A tempestade tropical Tembin atingiu as Filipinas menos de uma semana depois da passagem da Kai-Tak, que devastou o centro das Filipinas, fazendo 54 mortos e 24 desaparecidos.

“É muito lamentável que outro ciclone tropical (...) tenha feito sentir a sua presença tão perto do Natal”, afirmou o porta-voz da presidência das Filipinas Harry Roque.

As Filipinas são atingidas todos os anos por entre 15 e 20 tempestades e/ou tufões, mas Mindanao, a segunda maior ilha do arquipélago, com cerca de 20 milhões de habitantes, normalmente é poupada.

Outras Notícias