Tauromaquia regressa à Ásia pelas mãos de toureiro português

02 Fev 2018 / 03:48 H.

A tauromaquia está de regresso à Ásia através de um projeto turístico desenvolvido pelo cavaleiro português Marco José, em Guizhou, na China, destinado a mostrar a multiculturalidade de vários países, anunciou hoje o toureiro.

As demonstrações de toureio vão arrancar em maio, no complexo turístico New Português Guizhou Pecuária, que conta com uma praça de touros com 32 metros de diâmetro e com bancadas com capacidade para 3.500 espetadores, adiantou à agência Lusa o cavaleiro tauromáquico Marco José.

Os últimos espetáculos tauromáquicos na Ásia realizaram-se em Macau, em 1997, por iniciativa do cavaleiro tauromáquico Rui Salvador e do arquiteto José Pinto.

Segundo o também responsável pelos espetáculos equestres do complexo chinês, atualmente, “estão a ser decididas a nível governamental”, entre a China e Portugal, as questões burocráticas em relação à sanidade e passagem de animais para aquele país asiático.

“Existe uma série de condições burocráticas a tratar, como a sanidade e a passagem dos touros de Portugal para a China e o congelamento de sémen”, explicou.

“O que não há ainda na China é o touro bravo em si. Eles têm lá vários touros, eu já toureei vários touros, mas não têm a genética e a casta do touro bravo português. Nesta primeira fase, vamos fazer como na Califórnia, nos Estados Unidos da América, e não vamos sangrar o touro, por enquanto”, acrescentou.

Manifestando a esperança de contratar “a curto prazo” toureiros portugueses para atuarem na China, Marco José disse que a empresa detentora do complexo turístico elaborou um estudo de mercado, com o apoio do governo chinês, tendo sido verificado que este género de espetáculo poderá ser “uma mais-valia” junto do público daquele país.

O toureiro adiantou ainda que, caso o governo português não autorize o envio de sémen de touros bravos para a constituição de uma ganadaria na China, existe a “possibilidade” de adquirir os animais no México.

O complexo turístico terá várias casas de espetáculos vocacionadas para mostrar a cultura de diferentes países, como Portugal, Espanha, Brasil, México, Argentina, Marrocos e Índia.

Outras Notícias