Situação em Hodeida (Iémen) pode colocar em risco ajuda humanitária

Iémen /
15 Set 2018 / 01:49 H.

O Programa Alimentar Mundial (PAM) alertou hoje para a situação “alarmante” em Hodeida (oeste do Iémen), referindo que a continuidade da ajuda humanitária na cidade estratégica pode estar em risco.

“A situação de segurança em Hodeida está a deteriorar-se muito rapidamente, o conflito ameaça a continuidade da assistência humanitária”, declarou um porta-voz do PAM, Hervé Verhoosel, num encontro com a imprensa em Genebra.

Após a anulação das negociações em Genebra, na semana passada, os combates recomeçaram à volta do porto de Hodeida, controlado pelos rebeldes e ponto de entrada crucial da ajuda humanitária ao país.

Verhoosel disse que foram atingidos, “nos últimos dias, trabalhadores humanitários, as suas infraestruturas e alimentos”.

Segundo o porta-voz, armazéns do PAM, com alimentos para cerca de 19.200 pessoas, “foram atingidos” por um tiro de morteiro lançado por “um grupo armado não identificado”, ferindo um guarda.

Além disso, uma “série de incidentes de segurança” afetaram silos com trigo suficiente para um quarto das necessidades mensais do PAM no Iémen, adiantou.

Também “foram assinalados combates em diversas ocasiões perto do gabinete do PAM (...), o que pode por em risco a segurança de 33 funcionários do PAM na cidade de Hodeida”, indicou a ONU.

De acordo com o PAM, cerca de 46.000 toneladas de trigo devem chegar nos próximos 10 dias a Hodeida, mas a sua distribuição pode estar em risco se a situação continuar a piorar.

Em agosto, o PAM apoiou 700.000 pessoas entre as 900.000 em maior perigo na região de Hodeida.

A guerra no Iémen opõe o governo iemenita, apoiado por uma coligação internacional conduzida pela Arábia Saudita, aos rebeldes Huthis, ajudados pelo Irão.

Iniciado em 2014, o conflito já causou mais de 10.000 mortos e provocou “a pior crise humanitária do mundo”, segundo a ONU

Outras Notícias