Seis detidos na Turquia após incêndio em lar que matou 11 alunas e uma funcionária

30 Nov 2016 / 10:09 H.

Seis pessoas foram hoje detidas na sequência de um incêndio que fez pelo menos 12 mortos num dormitório de meninas no sul da Turquia, informou a agência de notícias pró-governamental Anadolu.

As seis pessoas, entre as quais o responsável do internato, foram detidas no âmbito do inquérito ao incêndio que, na noite de terça para quarta-feira, matou 11 meninas e uma funcionária do lar em Aladag, na província de Adana, acrescentou a Anadolu.

Uma fonte citada pela agência Associated Press disse que a saída de emergência do dormitório estaria fechada.

Também o presidente da Câmara de Adana, Huseyin Sozlu, disse à Anadolu que, ou a porta de emergência estava fechada, ou as alunas, em pânico, não conseguiram abri-la.

“O mais provável é que estivesse fechada”, disse.

O fogo, que terá tido origem numa falha elétrica, alastrou-se pelo edifício de três andares, onde dormiam alunas do ensino básico, e fez dois feridos, além dos 12 mortos.

Entretanto, as autoridades turcas impuseram um bloqueio informativo temporário, que impede a cobertura jornalística do incêndio, medida que justificaram com preocupações com a ordem pública e com o risco de prejuízo para a investigação.

Outras Notícias