Segundo homem detido no âmbito do caso da luso descendente desaparecida em França

01 Set 2017 / 12:24 H.

Um segundo homem, de 34 anos, foi detido hoje pelas autoridades francesas no âmbito do caso do desaparecimento de Maëlys de Araújo, de 9 anos, segundo uma fonte próxima do processo, noticiou o jornal francês Le Figaro.

Esta segunda detenção tem com objectivo investigar as declarações feitas pelo suspeito e que apresentam contradições, declarou a mesma fonte, de acordo com o diário francês.

Um primeiro homem preso na quinta-feira, - também com 34 anos e que era convidado do casamento em que Maëlys de Araújo estava com a família, viu a sua prisão prolongada em 24 horas para prestar mais declarações.

Entretanto, hoje continuam as buscas realizadas pelas autoridades no local e nas proximidades do desaparecimento da criança luso descendente.

A procuradora de Bourgoin-Jallieu já havia anunciado na segunda-feira a abertura de uma investigação de rapto após o desaparecimento de Maëlys de Araújo.

As autoridades informaram também que ocorriam mais duas festas nas proximidades do local em que estava a ser realizada a festa de casamento em que estava Maëlys de Araújo.

Os interrogatórios aos vários convidados da festa de casamento, mais de 200 pessoas, foram realizados pelas autoridades policiais.

No domingo, por volta das 03:00 (02:00 em Lisboa), os pais descobriram que Maëlys não estava no salão de festas nem nas proximidades de onde se realizava a festa do casamento, em Pont-de-Beauvoisin, a 85 quilómetros de Lyon, no sudeste de França.

A Gendarmerie Nationale, na sua conta na rede social Twitter, apelou aos cidadãos que avisem a polícia se tiverem informações sobre o caso de Maëlys de Araújo.

O caso está nas mãos do departamento de investigações de Grenoble, apoiado pela brigada de investigações de Tour-du-Pin e pela brigada territorial de Pont-de-Beauvoisin.

Segundo fonte da secretaria de Estado das Comunidades, o caso de Maëlys de Araújo, que é luso descendente e tem apenas nacionalidade francesa, está a ser acompanhado pelo consulado de Portugal em Lyon, que já conversou com a família para oferecer o apoio necessário.

Outras Notícias