Papa viaja para o Chile preocupado com possiblidade de conflito nuclear

Chile /
15 Jan 2018 / 14:21 H.

O papa Francisco anteviu hoje uma visita fácil ao Chile, país familiar onde tem muitos amigos, mas, no início de um voo de 15 horas, manifestou preocupação pela possibilidade de um conflito nuclear.

Em conversa com os jornalistas destacados para cobrir a visita a bordo do avião da companhia Alitalia que transporta a comitiva, Francisco afirmou que continua preocupado com a possibilidade de um imprevisto desencadear um conflito nuclear, num clima de tensão centrado sobretudo na península coreana.

Francisco distribuiu aos “vaticanistas”, entre os quais a agência espanhola Efe, uma fotografia de vítimas do bombardeamento atómico na cidade japonesa de Nagasaki em 1945, levado a cabo pelos Estados Unidos perto do fim da Segunda Guerra Mundial.

“Comove mais do que mil palavras”, disse o papa, que escolheria “o fruto da guerra” como legenda.

Em relação à viagem que inicia no Chile e o levará ainda ao Peru, recordou ter vivido durante um ano no Chile, em 1960, uma estada que lhe permitiu conhecer o país e fazer amigos que ainda hoje mantém.

O papa chegará hoje ao Chile, onde fica durante três dias, onde abordará os direitos dos povos indígenas e dos imigrantes de países como a Bolívia, que são temas políticos sensíveis.

Os atentados ambientais, nomeadamente na Amazónia, serão também abordados nas intervenções do papa.