Nobel da Paz atribuído a Campanha Internacional para Abolição das Armas Nucleares

O tema está no centro de tensões internacionais, nomeadamente no Irão e Coreia do Norte

06 Out 2017 / 10:05 H.

O prémio Nobel da Paz foi hoje atribuído à Campanha Internacional para a Abolição das Armas Nuclerares (ICAN, em ingês), informou o Comité Nobel norueguês.

O Comité baseou a decisão pelo trabalho feito para a eliminação de armamento nuclear no mundo.

A ICAN sucede ao Presidente colombiano, Juan Manuel Santos, distinguido no ano passado pelos seus esforços na restauração da paz na Colômbia.

O tema está no centro de tensões internacionais, nomeadamente no Irão e Coreia do Norte.

“Vivemos num mundo onde o risco de as armas nucleares serem utilizadas é mais elevado do que nunca. Alguns países modernizaram os respectivos arsenais nucleares e o perigo de mais países procurarem tê-los é real, como é o caso da Coreia do Norte”, disse a presidente do Comité Novel norueguês, Berit Reiss-Andersen.

Reiss-Andersen apelou, por isso, às potências nucleares para que encetem “negociações sérias” para eliminar todas as armas atómicas.

A decisão do Comité Nobel norueguês incide sobre nomes propostos até 31 de janeiro, podendo os seus cinco elementos acrescentar nomeações.

Qualquer pessoa pode ser nomeada, mas as nomeações só podem ser feitas por membros de governos em funções, deputados e chefes de Estado, do Tribunal Internacional de Justiça de Haia e do Tribunal Permanente de Arbitragem de Haia e do Instituto de Direito Internacional.

Também o podem fazer professores universitários das áreas de humanidades e de teologia e religião, reitores e directores de universidades, directores de institutos de estudos para a paz e de política internacional, laureados com o Nobel da Paz, responsáveis de organizações distinguidas com o Nobel da Paz, atuais e antigos membros do Comité Nobel norueguês e ex-conselheiros desta entidade.

Até hoje, apenas 16 mulheres foram distinguidas com o Nobel da Paz.

A entrega do prémio realiza-se a 10 de Dezembro em Oslo.

Outras Notícias