Ministro dos Negócios Estrangeiros alenão diz que Europa se deve mobiliza pelo desarmamento nuclear

04 Fev 2018 / 18:35 H.

O ministro dos Negócios Estrangeiros alemão pediu hoje aos europeus que tomem a iniciativa no domínio do desarmamento nuclear após o anúncio pelos Estados Unidos da sua intenção de se dotarem de novas armas nucleares de fraca potência.

“Como na altura da Guerra Fria, nós na Europa estamos particularmente em risco” com “um relançamento da corrida às armas nucleares”, declarou Sigmar Gabriel.

“É precisamente esta a razão por que devemos na Europa lançar novas iniciativas para o controlo do armamento e o desarmamento”, adiantou.

Gabriel reagia à nova “Postura Nuclear” divulgada na sexta-feira pelo Pentágono. No relatório, o Pentágono expõe o que considera como ameaças nucleares em relação aos Estados Unidos e as respostas a dar.

Os Estados Unidos querem nomeadamente desenvolver armas nucleares de fraca potência, para responder à “expansão das capacidades (nucleares) da Rússia”.

O anúncio faz temer um ressurgimento da proliferação e o aumento do risco de conflito nuclear.

Gabriel reconheceu que a anexação da província ucraniana da Crimeia pela Rússia conduziu a uma “espetacular perda de confiança em relação à Rússia” na Europa e nos Estados Unidos e que “são evidentes sinais de um rearmamento russo, não apenas de armas convencionais, mas também de armas nucleares”.

Mas considerou que, em vez de desenvolver novas armas, é imperativo garantir “o respeito incondicional dos tratados existentes de controlo de armamento”.

Berlim trabalhará “com os seus aliados e parceiros” a favor do desarmamento no mundo, assegurou.

“O nosso objetivo a longo prazo deve continuar a ser um mundo sem armas nucleares”, sublinhou o chefe da diplomacia alemã.

Tópicos

Outras Notícias