Inflação no Brasil fechou o ano de 2016 em 6,29%

Brasil /
11 Jan 2017 / 14:41 H.

A inflação oficial no Brasil, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Amplo (IPCA), fechou o ano de 2016 em 6,29%, informou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado cumpriu o sistema de metas que vigora no país, cujo objetivo central para o ano passado era de 4,5%, mas com tolerância de dois pontos percentuais para mais ou para menos (2,5% e 6,5%). Em 2015, a inflação no Brasil foi de 10,67%.

Em dezembro, a inflação subiu 0,30% e superou os 0,18% registrados de novembro. Mesmo assim, esse foi o IPCA mais baixo para um mês de dezembro desde 2008 (0,28%).

A coordenadora de índice de preços do IBGE, Eulina Nunes dos Santos, disse à Lusa que a desaceleração da velocidade dos reajustes dos alimentos foi fundamental para o resultado da inflação em 2016.

O resultado cumpriu o sistema de metas que vigora no país, em que o objetivo central para o ano passado era de 4,5%, mas com tolerância de dois pontos percentuais para mais ou para menos (2,5% ou 6,5%). Em 2015, a inflação no Brasil foi de 10,67%.

Eulina Nunes dos Santos explicou que no primeiro trimestre de 2016 o IPCA estava acumulando, na projeção dos 12 meses imediatamente anteriores, cerca de 11% puxado pela alta dos preços dos alimentos, muito abalados por problemas climáticos que atingiram a safra de 2015-2016 e também pela instabilidade política que fez subir o dólar relativamente ao real.

“Este cenário vigorou no primeiro semestre. A partir de agosto os preços começaram a cair porque a projeção da próxima safra foi positiva (..) O setor de alimentos tem um grande peso sobre a inflação, já que corresponde a 25% dos gastos das famílias”, disse.

Segundo a investigadora, outros fatores importantes que influenciaram a desaceleração da inflação no Brasil foram o crescimento do desemprego e a redução do rendimento médio dos trabalhadores.

“Desemprego, renda baixa e crédito caro (com juros altos) fizeram com que o consumo caísse muito até mesmo em setores como o dos supermercados. Com isto, o mercado deixou de aumentar os preços cobrados dos consumidores já que a demanda estava muito fraca”, detalhou.

A alta de preços também ficou abaixo do esperado pelo mercado financeiro. Segundo o último Boletim Focus, uma pesquisa semanal sobre os principais indicadores do país feita pelo Banco Central com 100 especialistas do mercado, a projeção do IPCA para 2016 era de 6,35%.

O IPCA é calculado pelo IBGE desde 1980, se refere às famílias com rendimento monetário de 01 a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte, e abrange dez regiões metropolitanas do país, além dos municípios de Goiânia, Campo Grande e de Brasília.

Outras Notícias