Extremista norueguês Breivik faz saudação nazi no tribunal

10 Jan 2017 / 14:18 H.

O extremista de direita Anders Breivik fez hoje a saudação nazi ao entrar no tribunal que vai analisar o recurso de uma primeira decisão judicial que considerou “tratamento desumano” o facto de estar há três anos em isolamento.

Preso por ter matado 77 pessoas em 2011, o extremista norueguês de 37 anos, que se identifica agora abertamente como neonazi, processou no ano passado o governo por considerar ser alvo de “tratamento desumano” dado estar em isolamento há cerca de três anos.

A justiça norueguesa deu razão a Breivik e o Estado norueguês recorreu, estando agora o caso em análise.

Um tribunal de Oslo concluiu em abril “que o regime prisional implica um tratamento desumano de Breivik”, assinalando que a sua manutenção em isolamento há cerca de três anos é uma violação do artigo 3.º da Convenção Europeia dos Direitos Humanos.

Por outro lado, não foi dada razão ao extremista no segundo ponto da queixa sobre as suas comunicações com o exterior. Breivik pedia o levantamento das restrições à sua correspondência e visitas para poder contactar com simpatizantes, o que as autoridades contestam por razões de segurança.

Breivik foi condenado por assassínio em massa e terrorismo em agosto de 2012, por ter matado oito pessoas na explosão de uma bomba perto da sede do governo em Oslo e, depois, 69 outras a tiro, na maioria adolescentes que participavam num acampamento da juventude trabalhista.

A sua pena de 21 anos de prisão pode ser prolongada enquanto for considerado perigoso.

O julgamento do recurso está a decorrer num tribunal improvisado no ginásio da prisão de alta segurança de Skien, onde Breivik está detido.

Foram previstos seis dias para as audições e a decisão é esperada em fevereiro.

Tópicos