Estado Islâmico reivindica atentado em Cabul

28 Dez 2017 / 11:23 H.

O grupo radical Estado Islâmico (EI) reivindicou o atentado de hoje contra um centro cultural xiita em Cabul, que causou pelo menos 40 mortos, informou a agência de propaganda dos ‘jihadistas’ Amaq.

O EI disse ter recorrido a três bombas, cujas explosões foram seguidas de um ataque suicida.

Segundo as autoridades, pelo menos 56 pessoas ficaram feridas.

O porta-voz do Ministério do Interior, Najib Danish, disse que um número não determinado de suicidas provocou uma explosão fora do centro antes de realizar um ataque no interior.

Os atacantes colocaram explosivos na cave do prédio onde dezenas de pessoas estavam reunidas para assinalar a invasão do Afeganistão pela União Soviética, disse.

O líder xiita Abdul Hussain Ramazandada referiu que testemunhas indicaram que pelo menos um bombista suicida estava entre os participantes no evento. Além da explosão desencadeada por aquele bombista, ocorreram outras explosões quando as pessoas já estavam a fugir do local.

No mesmo edifício existe uma mesquita e os escritórios da agência de notícias afegã, Sada-e-Afghan, pró-iraniana, inicialmente também considerada como possível alvo do ataque.

A capital afegã tem sido alvo este ano de graves atentados.

No final de Maio, Cabul registou o pior atentado no país desde 2001, quando um camião carregado de explosivos causou 150 mortos e mais de 300 feridos.