Donald Trump dá quarta-feira a sua primeira conferência de imprensa em mais de cinco meses

EUA /
10 Jan 2017 / 19:59 H.

O Presidente eleito dos EUA, Donald Trump, promove na quarta-feira a sua primeira conferência de imprensa em mais de cinco meses, para abordar temas pessoais que ficaram sem resposta e esclarecer diversas dúvidas sobre o seu mandato.

A conferência de imprensa que decorre em Nova Iorque a partir nas 11:00 locais (16:00 em Lisboa) será a primeira desde a protagonizada na Flórida em 27 de julho, então convocada com poucas horas de antecipação.

A conferência de imprensa “geral”, como referiu Trump, foi anunciada a 03 de janeiro pelo Presidente eleito, e será a primeira vez que os jornalistas poderão questioná-lo com algum tempo sobre temas ventilados pelos ‘media’ desde a sua vitória eleitoral de 08 de novembro.

Trump tinha anunciado uma conferência de imprensa para 15 de dezembro para esclarecer como vai proceder com os seus bens pessoais, mas por fim adiada com o pretexto de que estava concentrado na formação do seu gabinete que o acompanhará na Presidência a partir de 20 de janeiro.

A gestão do património do multimilionário norte-americano eleito para a Casa Branca será um dos temas que deverá esclarecer na quarta-feira. Apesar de legalmente não ter obrigação de se desapossar dos bens que poderiam criar conflitos de interesses já anunciou que vai passar os seus negócios, centrados no setor imobiliário, para familiares.

As dúvidas acentuaram-se no entanto devido à decisão relacionada com o seu genro e empresário imobiliário, Jared Kushner, que designou como futuro conselheiro principal da Casa Branca.

Durante uma breve comparência na segunda-feira perante os jornalistas na Torre Trump (Trump Tower), o Presidente eleito antecipou que na conferência de imprensa vai esclarecer as medidas a adotar para garantir a revogação do Obamacare, o programa de saúde delineado pelo ainda Presidente em exercício Barack Obama.

Este plano permitiu alargar o seguro médico a milhões de norte-americanos, mas Trump pretende eliminá-lo apesar de ainda não ter anunciado qualquer alternativa.

Tópicos