Cólera matou 6 e afectou 106 em Angola num mês

Angola /
10 Jan 2017 / 11:06 H.

O Ministério da Saúde de Angola vai enviar médicos e medicamentos para o município do Soyo, na província do Zaire, para travar a propagação do surto de cólera que desde dezembro já afetou 106 pessoas, provocando seis mortos.

A posição foi reiterada hoje pelo ministro da Saúde, Luís Gomes Sambo, no final de uma visita de dois dias ao Soyo, tendo garantido que nos próximos dias será reforçado o número de médicos e técnicos de laboratórios no município.

O ministro afirmou que o surto está para já contido à zona insular do município, daí a necessidade de reforçar a assistência para impedir o alastramento.

“Uma das medidas para se controlar a doença passa também pela prevenção, isto é, as famílias devem reforçar as medidas de higiene pessoal e coletiva, bem como o saneamento do meio”, afirmou Luís Gomes Sambo.

Na mesma visita participou o ministro das Finanças, Archer Mangueira, tendo sido garantida a disponibilidade do Governo para uma dotação orçamental que permita este reforço na prestação de cuidados de saúde no município.

Este surto de cólera afeta as ilhas Kirusso, Mbubu, Nvindi, Kimpula e Libi, no Soyo, devido às deficientes condições de higiene, água e saneamento básico, o que motivou igualmente a presença nesta visita do secretário de Estado das Águas, Luís Filipe da Silva.

Tópicos

Outras Notícias