China pode resolver “fácil e rapidamente” crise nuclear norte-coreana, diz Trump em Pequim

China /
09 Nov 2017 / 09:05 H.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse hoje que a China pode “solucionar fácil e rapidamente” a crise nuclear e de mísseis balísticos da Coreia do Norte, durante uma visita de Estado a Pequim.

Trump apelou ao seu homólogo chinês, Xi Jinping, que estava sentado ao seu lado, que trabalhe “muito intensamente” nesta questão.

“Uma coisa sei sobre o vosso Presidente: se trabalha em algo intensamente, consegue o que quer, não tenho dúvidas”, afirmou Trump, perante os executivos das maiores empresas da China.

O líder dos EUA agradeceu a Xi pelas medidas já adoptadas por Pequim, nos últimos meses. Para além de apoiar as sanções impostas pelas Nações Unidas a Pyongyang, a China adoptou ainda sanções unilaterais.

Trump apelou ainda à Rússia “para que ajude a controlar esta situação, que pode ser potencialmente muito trágica”.

“Todos os países” se devem unir para evitar que o regime “assassino” da Coreia do Norte “ameace o mundo com as suas armas nucleares”, insistiu Trump numa conferência de imprensa posterior.

O Presidente norte-americano disse que acordou com Xi “não replicar métodos que falharam no passado”, nos esforços pela desnuclearização da península coreana.

E revelou que ele e Xi Jinping se comprometeram a “aumentar a pressão económica até que a Coreia do Norte abandone a sua trilha imprudente e perigosa”.

Xi Jinping assegurou que Pequim e Washington estão “comprometidos com a desnuclearização” da península coreana e procurarão uma solução através do “diálogo pacífico”, visando alcançar a “estabilidade a longo prazo” na região.

A China é o maior aliado diplomático e parceiro comercial do regime de Kim Jong-un.

Outras Notícias