Canadá “estupefacto” com separação de famílias de imigrantes ilegais nos EUA

19 Jun 2018 / 23:46 H.

O Canadá está “estupefacto” com a separação das famílias de imigrantes ilegais que entram clandestinamente nos Estados Unidos, afirmou hoje o ministro da Imigração canadiano, realçando que Otava acompanha a aplicação do respeito pelo direito de asilo pelos EUA.

“Todos os canadianos estão estupefactos com as imagens que chegam dos Estados Unidos. A vida das crianças é muito, muito preciosa e a sua segurança tal como o seu bem-estar devem ser a nossa primeira preocupação”, disse Ahmaed Hussen.

O responsável político respondia no parlamento a questões sobre as cerca de 2.300 crianças e jovens imigrantes separados dos seus pais, que foram acusados de ter passado ilegalmente a fronteira norte-americana, nas últimas cinco semanas.

Vários artistas e personalidades conhecidas, como o músico Willie Nelson, têm tomado posição sobre a forma como são tratadas as crianças, separadas dos pais acusados de entrarem ilegalmente nos Estados Unidos, e exigindo que esta situação acabe.

De acordo com dados oficiais, cerca de dois mil menores imigrantes foram separados das famílias na fronteira com o México nas últimas seis semanas, devido à política de “tolerância zero” do Presidente dos EUA, Donald Trump, contra a imigração ilegal que implica tratar como criminosos os que entram no país sem documentos.

A indignação nos Estados Unidos é cada vez maior depois de terem sido divulgadas imagens dos menores imigrantes colocados em armazéns e, nalguns casos, repartidos por celas.

Willie Nelson disponibilizou-se para um encontro com Donald Trump num dos centros de detenção na fronteira entre os EUA e o México para compreender melhor o que está a acontecer.

O músico John Legend e a sua mulher, Chrissy Teigen, doaram um milhão de dólares (864 mil euros) à American Civil Liberties Union (união americana para as liberdades civis) e a apresentadora e atriz Ellen DeGeneres publicou uma ligação para vários grupos que lutam contra estas políticas, através de uma mensagem na rede social Twitter.

Outras personalidades como Reese Witherspoon, Mindy Kaling, Alyssa Milano, Mark Hamill, Lin-Manuel Miranda, Judd Apatow, Kumail Nanjiani, Piper Perabo e Common também têm denunciado a política de Donald Trump para a imigração.

Oprah Winfrey escreveu para sos seus 42,7 milhões de seguidores nas redes sociais: “Bebés arrancados dos seus pais. Não aguento isto!”.

Os apelos das celebridades acontecem algumas semanas depois de Kim Kardashian West visitar a Casa Branca para pressionar no sentido de obter perdão para uma mulher que está a cumprir pena acusada de crimes relacionados com drogas. Mais tarde, Donald Trump correspondeu ao pedido.

O criador da série de animação para adultos “Family Guy”, Seth MacFarlane, foi outra personalidade que veio a público pedir apoio contra a política de imigração dos EUA, tal como fez um dos autores da série “Modern Family” (Uma Família Moderna), Steve Levitan.

Outras Notícias