Alemanha recebeu em 2016 menos dois terços de refugiados que em 2015

11 Jan 2017 / 12:46 H.

A Alemanha recebeu em 2016 cerca de 280.000 refugiados, menos de um terço do número recorde de 890.000 que acolheu em 2015, anunciou hoje o ministro do Interior alemão, Thomas de Maizière.

Apesar de o número de chegadas ter diminuído, o número de requerentes de asilo que viram os seus pedidos recusados e deixaram a Alemanha aumentou, “embora ainda não satisfaça as autoridades”, disse o ministro, precisando que 80.000 pessoas abandonaram voluntariamente o país ou foram deportadas.

O visível decréscimo nas chegadas de refugiados deve-se sobretudo ao encerramento da rota dos Balcãs, em Março, e ao acordo entre a União Europeia e a Turquia para reduzir o fluxo de migrantes que atravessam o Mar Egeu para chegar à Grécia.

Apesar dessa redução, o número de pedidos de asilo aumentou em relação a 2015, o que é explicado pelas autoridades com o facto de muitos dos que chegaram em 2015 só terem formalizado um pedido em 2016.

Os números hoje divulgados mostram que 745.545 pedidos formais de asilo foram apresentados em 2016, mais 268.869 do que em 2015. Mais de um terço do total de pedidos (268.866) é relativo a cidadãos sírios, o maior grupo, seguido de afegãos (127.892) e iraquianos (97.162).

O Gabinete Federal para as Migrações e Refugiados, que foi reforçado depois do afluxo inédito de refugiados registado em 2015, decidiu em 2016 sobre mais de 695.000 pedidos de asilo, cerca do dobro de 2015. Cerca de 60% dos pedidos tiveram resposta positiva, nuns casos a concessão do estatuto pleno de refugiado, noutros um tipo de autorização de permanência menos abrangente.

O ministro alemão disse ainda que 55.000 migrantes regressaram voluntariamente ao país de origem em 2016, contra 35.000 em 2015. Outros 25.000 foram deportados.

Tópicos

Outras Notícias