Bispo do Funchal rejeita “vidas duplas” de padres que assumem paternidades

06 Nov 2017 / 10:00 H.

A equipa da redacção do DIÁRIO confirmou, no passado domingo, a paternidade do padre Giselo de uma menina nascida a 18 de Agosto, sendo a mãe da criança uma antiga colega de universidade do pároco.

Esta ‘novidade’ corre as bocas do mundo e levantou um debate, quer a nível regional, nacional e até internacional visto que estes casos têm de ser reportados automaticamente ao Vaticano, estando as opiniões bastante divididas sobre o celibato nos padres. No entanto, D. António Carrilho é bastante claro e refere, tal como pode ler na edição em papel desta segunda-feira, que “a Igreja não aceita, evidentemente, uma vida dupla”.

Também a justiça faz hoje manchete, estando desta vez relacionada com o número de casos de violência doméstica, sendo que 49 dos 50 dos processos-crime que já deram entrada este ano nos tribunais da Madeira já foram julgados.

Tópicos

Outras Notícias