último comentário

Dívida da Madeira "são cinco mil milhões e tal"

15/03/2012 20:28
2 comentários
Ferramentas
+A  A  -A
Interessante
Achou este artigo interessante?
 

Pela primeira vez a oposição votou contra, não houve qualquer abstenção e o PSD aprovou sozinho o Orçamento e Plano para 2012.
Mas antes da votação na generalidade, o presidente do Governo falou no Parlamento. Na sua intervenção Jardim quantificou a dívida da Madeira em “cinco mil milhões e tal” e disse estar indisponível para pagar outras duas dívidas atribuídas à Região.

Acusado por José Manuel Coelho de receber dois ordenados. Jardim esclareceu o deputado do PTP quanto a valores e afirmou que não está disposto a abdicar da reforma. Na sua intervenção o presidente do Governo justificou ainda os apoios atribuídos ao Jornal da Madeira.

Antes da intervenção do Presidente do Governo tomaram a palavra os representantes dos partidos. O líder parlamentar do PSD apontou o dedo aos que participaram numa "campanha" contra a Madeira.

Lopes da Fonseca, pelo CDS-PP, devolveu acusações ao PSD e garantiu que o seu partido não desiste de defender os madeirenses. Já, Vítor Freitas acusou o PSD de “rasgar a palavra dada”.

Pelo PCP, Edgar Silva dirigiu-se à “comissão liquidatária da Autonomia” e defendeu a aplicação de uma moção de censura ao regime.

Vestindo uma t-shirt da JSD, com boné e bandeira do PSD e ao som do hino social-democrata, José Manuel Coelho fez a sua intervenção com citações do presidente do Governo Regional.

Rui Almeida do PAN esperava que este orçamento contemplasse mais mudanças e Roberto Vieira do MPT acusou o CDS e o PSD de serem responsáveis pelas consequências deste orçamento para as famílias madeirenses.

A discussão do orçamento ficou ainda marcada por um incidente que envolveu a deputada do PND, Rubina Sequeira chegou tarde e falhou a sua intervenção. Recorreu para o plenário que, com os votos contra da maioria, reprovou a pretensão da deputada.
Rubina Sequeira convocou depois uma conferência de imprensa onde acusou Jardim de mentir aos madeirenses e ao Governo central.

A discussão do Orçamento e Plano para 2012 termina amanhã com a votação na especialidade e a votação final global.
 

2

Comentários

Este espaço é destinado à construçăo de ideias e à expressăo de opiniăo.
Pretende-se um fórum constructivo e de reflexăo, năo um cenário de ataques aos pensamentos contrários.

-1
updown

Então os chulos que paguem os 5 mil que nós, os desgraçados, pagamos o "tal".

0
updown

O dr Jardim tem razão quanto ao valor absoluto dos honorários. É manifestamente baixo em função das suas exigências enquanto Presidente.
Defendeu o seu ponto com dignidade.
A mecância legal compensatória não tem superioridade moral. A Madeira nesta matéria não deve ser uma excepção.
Ao longo da sua carreira política o dr Jardim nunca falou de uma das mais importantes reformas do País: a escala de proporcionalidade e a justiça remuneratória dentro da função pública.
Resistiu ao debate. Composto.
A exactidão dos números é uma das suas fraquezas...
São biliões doutor.
Não deve chamar os seus adversários de psicopatas. Como pode exigir respeito?
Coelho esteve mal uma vez mais com o seu número de circo.
Coelho é um combatente que não encontra o rumo certo.
A deputada do PND só se pode queixar de si própria por ter chegado tarde.
A oposição tem totalmente razão, embora por motivos políticos diferentes, em rejeitar o orçamento.
Neste momento duro a não abstenção do PS e do CDS têm um significado notório.
Um orçamento de derrota política do PSD que governou durante décadas com maiorias confortáveis e que levaram a Região à tempestade de todas as vergonhas em que se encontra mergulhada.
Sem desculpa.

O nome que será apresentado como autor do comentário.
O conteúdo deste campo é privado e não será exibido publicamente.

Outras relacionadas...