último comentário

Comida, brinquedos, roupa e cobertores

Instituições e associações de solidariedade apelam à solidariedade neste Natal

01/12/2008 14:04
Artur de Freitas Sousa
Tags
Vídeo
Ferramentas
+A  A  -A
Interessante
Achou este artigo interessante?
 

Helena Correia, colaboradora da 'Casa do Voluntário' diz ter recebido “'feed-back' muito positivo” das associações e defendeu um bom nível de participação dos madeirenses na VI Feira das Vontades. “As pessoas têm aderido à animação, na visita às barracas e na compra dos produtos das associações”, refere.
A compra de produtos em banca é uma de muitas formas de contribuir para a obra das instituições e associações de solidariedade social. A Associação Protectora dos Pobres (APP) pretende distribuir 130 cabazes de comida pelos utentes, proporcionando um Natal mais próximo do vivido pelas famílias. A presidente da APP, Luísa Pessanha, garante que toda a ajuda é bem vinda: roupas, electrodomésticos, cobertores, cortinas e almofadas são alguns exemplos.
À semelhança de outras crianças, as 40 residentes no Abrigo de Nossa Senhora de Fátima 'esperam' um brinquedo na quadra que se aproxima e tempo de voluntários que as acompanhem no desenvolvimento de actividades. A instituição trabalha com crianças e jovens do sexo feminino desprovidas de meio sócio-familiar estável.
Tempo é também uma das maiores necessidades da 'Acreditar'. Luísa Gonçalves, voluntária desta associação que presta apoio a crianças com doença oncológica e respectivas famílias refere que o trabalho de voluntariado pode ser desenvolvido tanto em meio hospitalar como na sede da associação.

Comentários

Este espaço é destinado à construçăo de ideias e à expressăo de opiniăo.
Pretende-se um fórum construtivo e de reflexăo, năo um cenário de ataques aos pensamentos contrários.

O nome que será apresentado como autor do comentário.
O conteúdo deste campo é privado e não será exibido publicamente.

Outras relacionadas...

Espaço participação

Que soluções para melhorar a mobilidade nas regiões insulares?

Quais as estratégias e as opções políticas a seguir em termos de transportes marítimos e aéreos?