Teófilo Cunha garante que continuará rumo

Reconduzido presidente da Câmara Municipal de Santana tomou posse esta tarde

20 Out 2017 / 20:37 H.

Numa sala a abarrotar, tanto que não cabiam tantos quantos quiseram assistir à tomada de posse, hoje à tarde, dos novos eleitos à Câmara Municipal e Assembleia Municipal de Santana, Teófilo Cunha reconduzido para mais um mandado de quatro anos, garantiu que mais do que prometer irá fazer por gerir ainda melhor as contas da autarquia, não descurando tudo fazer pela defesa de um concelho que sofre demasiado com a desertificação, castradora do seu desenvolvimento.

Depois de reforçar a maioria absoluta que o CDS-PP já tinha desde 2013, o autarca lembrou que agora é hora de arregaçar as mangas em prol de toda a população de Santana, mesmo que não estando “para agradar a todos”, prefere “fazer em vez de prometer”, por isso assegura que o rumo é para continuar.

Dividiu o seu discurso em cinco capítulos (financeiro, social, impostos, investimento e agricultura), mas é na capacidade de resolver os problemas financeiros da autarquia que mais se destacou. Teófilo Cunha disse que a dívida da Câmara será de 1,8 milhões de euros no final deste ano, quando ao tomar posse na primeira vez era de 5,7 milhões e mais 2,9 milhões a fornecedores, esta que já está paga.

Num longo discurso de quase 18 minutos, muito mais havia para acrescentar, mas nota final ara a garantia de continuar a aplicar o IMI na taxa mais baixa, o IMI familiar para continuar e continuar a ser uma das poucas autarquias que devolvem todo o IRS variável aos munícipes, garantias que mereceram fortes aplausos. Teófilo Cunha emocionou-se por duas vezes, ao lembrar os recentes fogos em Portugal, por culpa da desertificação do interior, chamando a atenção para a situação na costa norte da Madeira, e ao falar dos pais, já falecidos, que estariam orgulhosos e satisfeitos pelo filho.

Leia mais na edição de amanhã.

Outras Notícias